Voz oficial do Festival de Gramado milita por menos preconceito com a dublagem  - Hora

Versão mobile

The voice31/08/2016 | 18h41

Voz oficial do Festival de Gramado milita por menos preconceito com a dublagem 

Marcio Seixas é conhecido por dublar personagens como Batman e 007

Voz oficial do Festival de Gramado milita por menos preconceito com a dublagem  Reprodução/Arquivo pessoal
Foto: Reprodução / Arquivo pessoal

Conhecido por emprestar sua voz a personagens como Batman e James Bond, além de atores como Clint Eastwood, Leslie Nielsen e Morgan Freeman, o mineiro Marcio Seixas também emprestou sua fala ao 44º Festival de Cinema de Gramado. Todas as locuções oficiais do evento são do icônico dublador de 71 anos.

Ele esteve presente em Gramado no último domingo para apresentar a palestra Dublagem – Vencendo o preconceito, na qual discute as dificuldades enfrentadas no ramo em que atua há mais de 40 anos. Bastante apaixonado pelo que faz, Márcio não encontra uma resposta definitiva para o preconceito com a sua profissão.

Leia mais:
Representado por sua filha, José Mojica Marins é homenageado em Gramado
Reynaldo Gianecchini e elenco divulgam "Diminuta" em Gramado
Sonia Braga é homenageada em Gramado em meio à polêmica sobre Aquarius

– Ridicularizar deve ser muito bom, deve dar muito prazer. Dá status. "Eu não gosto de filme dublado, gosto de ver no original" – atesta o dublador, moldando sua voz para uma entonação de um lorde. – O sujeito cresce assistindo a filme dublado. Depois que vira adulto, torce o nariz. Seria uma coisa tão bem vinda se essas pessoas que criticam procurassem dar soluções para resolver as deficiências e apontar os motivos pelos quais tem preconceitos com a dublagem – completa. 

Márcio explica que a dublagem não é direcionada para um público de classes baixas.

– A dublagem é para o povão? Não. É para todas as classes, de A a Z. Nós cumprimos o papel que é levar uma obra ao ouvido de quem não quer alternar o seu olhar da letra para a tela. Porque é um movimento constante, você acaba perdendo o que está nas telas para ler tudo que está embaixo – ressalta o dublador, que também é professor de técnicas de comunicação falada.

Para fortalecer seu argumento, o dublador menciona uma pesquisa de 2008, realizada pelo instituto Datafolha. O estudo aponta que 57% dos espectadores brasileiros médios (que frequentam o cinema ao menos uma vez a cada três meses) tinham preferência por filmes dublados, enquanto o público eventual (ao menos uma vez por ano) marcava 69%.

No entanto, Márcio não esconde seu pessimismo com o mercado de dublagem.

– O mercado de dublagem está pulverizado entre 37 empresas no Rio de Janeiro e outros tantos em São Paulo. Por causa da quantidade de estúdios, foi instaurada uma concorrência predatória. Tem o cliente que procura a produção mais barata, sem se preocupar com a qualidade – lamenta a voz do Festival.

 

Siga npdalingua no Twitter

  • npdalingua

    npdalingua

    Na Ponta da LínguaE aí o @zcloficial resolve postar foto sem camisa... Só digo uma coisa... Tá longe de ser o #Zulu 😒 #npdl… https://t.co/gfxOTBcNrxhá 1 diaRetweet
  • npdalingua

    npdalingua

    Na Ponta da LínguaVai rolar uma "pegada made in roça" na @Fields_sc 😍 Mazahh, Loubet, tu não fica fazendo propaganda se não for entre… https://t.co/9j8n6OHJVuhá 2 diasRetweet
Hora de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros