As emoções de Roberto Carlos em Balneário Camboriú - Hora

Versão mobile

Música18/09/2016 | 02h43

As emoções de Roberto Carlos em Balneário Camboriú

Cantor se apresentou na noite deste sábado na cidade

As emoções de Roberto Carlos em Balneário Camboriú Emerson Touche e Elis Jaques/Divulgação
Foto: Emerson Touche e Elis Jaques / Divulgação
É quase como um especial de fim de ano da Globo. Só que ao vivo. E é aí que a mágica acontece e tudo faz sentido: Roberto Carlos está entre nós.

Os fãs, que faziam fila minutos antes para tirar fotos com uma réplica do cantor em papelão, se entregam de imediato. E, ciente da ansiedade de seus súditos, o Rei conduz a plateia com naturalidade e carinho por uma viagem cheia de curvas, sentimentos e histórias.

O caminho conta com algumas paradas. Pausas estratégicas e um tanto dramáticas ao fim de algumas músicas.

Pede que a plateia respire. E para.

— Só assim, sinto você bem perto de mim — canta o coro ao comando dele.

— Respirem de novo — determina.

— Outra vez — e termina a música.

Com orquestra e 16 dúzias de rosas vermelhas e brancas, Roberto Carlos se apresentou na noite deste sábado no Music Park BC, em Balneário Camboriú e viu, do palco, mãos dadas, beijos e abraços de tantos e tantos e tantos casais que deixavam a atmosfera carregada de romance e nostalgia. Além dos casais, muitas mulheres. Amigas, irmãs, mães e filhas dominando o coro em todas as canções.

Aos 75 anos, o Rei está bronzeado. Faz piadas de tiozão ("Tudo na vida passa, menos a uva passa"), diz que as três melhores coisas do mundo são "sexo com amor, sexo e sorvete" e que estaria domingo de manhã na praia do Pinho para "tirar uma onda". E ainda ostenta parte do peitoral usando a clássica camisa branca desabotoada. Recaldados diriam que é brega. Mas quem se importa?

O show se desenrola e quem está a trabalho também se rende. É nessa hora que a zeladora do banheiro feminino toma água e cantarola "Nossa Senhora", que a moça da recepção coloca o celular para o alto e traz quem está do outro lado da linha para o show. É quando o segurança faz a foto com o Roberto Carlos de papel e manda no grupo de WhatsApp da família. Todos querem um pouco de Roberto Carlos, e ele está ali para fazer uma noite inesquecível.

Ele termina distribuindo as rosas. Beija uma a uma, enquanto tocam os acordes finais de "Jesus Cristo". A essa altura, o público já deixou as cadeiras e se espreme em frente ao palco. Quase como no especial de fim de ano da Globo. Só que ao vivo.


Plateia apaixonada

A plateia de um show do Roberto Carlos é parte fundamental para entender o sucesso dele. Antes do show, enquanto o telão exibe propagandas da Emoções Incorporadora ou do Projeto Emoções, um pacote de cinco dias em um resort na Bahia, os fãs se acomodam, fazem selfies e comentam quais músicas mais gostam.

A professora aposentada Marli Dariva, que mora em Balneário, estava acompanhada pela amiga Marina e guardava lugar na área Vip para o cunhado e a irmã. Lembra de um primo que imitava o cantor e faz as contas.

— Tenho 63 anos e ele, 75. O Roberto Carlos faz parte da vida da gente, é muito importante estar aqui hoje.

Na primeira fila, bem de frente para o cantor, o casal Sandra Regina de Barros e Sérgio Luís Pereira viviam "um dia de festa".

— Ouço as músicas dele todos os dias. Escolho uma década e solto o som. Fiquei esperando a pré-venda e nem acreditei quando consegui comprar os ingressos para a primeira fila.

Ao lado deles, o paulista Vicente Duarte segurava um quadro com um desenho feito a partir de uma foto feita com o cantor no início do ano. 

— Acompanho todos os shows pelo Brasil e sempre dou um presente para o Roberto. Aqui eu trouxe o quadro. Em Florianópolis, dei uma camisa do Vasco, que é o time dele — conta, orgulhoso.

JORNAL DE SANTA CATARINA

 
 
Hora de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros