Brasil Game Show: Confuso, "Lego worlds" quer abalar o reinado de "Minecraft"  - Hora

Versão mobile

Na briga02/09/2016 | 12h33Atualizada em 02/09/2016 | 12h33

Brasil Game Show: Confuso, "Lego worlds" quer abalar o reinado de "Minecraft" 

Game de construção de bloquinhos aposta em mundo aberto de possibilidades infinitas 

Brasil Game Show: Confuso, "Lego worlds" quer abalar o reinado de "Minecraft"  Reprodução / Lego Worlds/Lego Worlds
Foto: Reprodução / Lego Worlds / Lego Worlds
Gustavo Brigatti / São Paulo

gustavo.brigatti@zerohora.com.br

Vocês gostam de Lego. Eu gosto de Lego. Todo. Mundo. Gosta. De. Lego. Mas não sei se eu gostei de Lego Worlds. E não sei se vocês também vão gostar de Lego Worlds.

Desenvolvido pela Traveller¿s Tale com distribuição da Warner, o jogo está em beta desde junho de 2015 no Steam. Shame on me, eu nunca tinha ouvido falar. Mas pude testá-lo agora na Brasil Game Show, numa das raras cabines de jogos pouco disputadas. A razão da baixa audiência eu descobriria poucos minutos depois de me conectar.

Leia mais:
Mostrando apenas modo horda, Gears of war 4 ainda não disse a que veio
"A polêmica nos interessa também", diz Alessandra Koster, da Warner Games

Lego Worlds é a tentativa de reaver a primazia no que toca a criação através de bloquinhos de montar, atualmente de posse de Minecraft no entretenimento eletrônico. O game indie, comprado a preço de ouro pela Microsoft, valeu-se da lógica do Lego no mundo real para criar um império no mundo virtual. A Lego, agora, quer reivindicar esse reinado.

Justo. Só não sei se será com Lego Worlds.

Primeiro porque o jogo, diferentemente de Minecraft, me pareceu bem pouco intuitivo. Fui jogado em um universo de Lego – muito bonito e bem acabado, por sinal – sem nenhuma instrução. Nada. Aprendi como pular, correr e interagir com alguns personagens e veículos, mas nada além. Estava literalmente sozinho em uma ilha.

Por minha própria conta e risco, fui apertando botões e tentando entender o que poderia fazer – virtualmente qualquer coisa, o que é um pouco demais e significa uma curva de aprendizado grande demais para um teste numa feira. Larguei os controles quando, ao entrar em uma caverna, o que pareceu ser um bug dos mais bizarros me deixou cego ao jogar a câmera para debaixo da terra de pastilhas de plástico coloridas.

Uma das novidades apresentadas, mais de um ano depois de ser colocado para teste, é o modo multiplayer – que eu não sei como funciona porque a versão de teste, aparentemente, era apenas single player.

Talvez Lego Worlds agrade à criançada fã de Minecraft e, pela força do seu nome, vire o jogo. Mas daí não deve sair, isso é quase certo.

O jogo tem previsão de lançamento no Brasil para 2017 em português.

 

Siga npdalingua no Twitter

  • npdalingua

    npdalingua

    Na Ponta da LínguaMal a gente até entende... Agora, não vejo necessidade pra ficar com vergonha, côsalinda! O nude tava um arrazooooo… https://t.co/xvG7cxGdSFhá 7 horas Retweet
  • npdalingua

    npdalingua

    Na Ponta da LínguaAinda me esvaindo em lágrimas pela cena de #VelhoChico de ontem e me deparo com essa foto 😢😭 Assim não dá, Braseee… https://t.co/AJtCbmBLcIhá 10 horas Retweet
Hora de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros