"Ainda era pra eu estar plantando e eu já estou colhendo", diz Marília Mendonça sobre carreira meteórica - Hora

Versão mobile

É hoje11/01/2017 | 08h11Atualizada em 11/01/2017 | 17h30

"Ainda era pra eu estar plantando e eu já estou colhendo", diz Marília Mendonça sobre carreira meteórica

A cantora sertaneja se apresenta nesta quarta-feira em Florianópolis

"Ainda era pra eu estar plantando e eu já estou colhendo", diz Marília Mendonça sobre carreira meteórica Ramón Vasconcelos/TV Globo/Divulgação
Foto: Ramón Vasconcelos / TV Globo/Divulgação

A falta de experiência não assusta Marília Mendonça, com apenas 21 anos e um ano de carreira. A cantora e compositora que foi destaque em 2016 se sente segura diante do sucesso que conquistou tão rapidamente. Fruto de muita responsabilidade, garante ela, que antes de se lançar como cantora sertaneja já fazia composições para grandes nomes como Lucas Lucco, Jorge & Mateus, Wesley Safadão, Cristiano Araújo e João Neto & Frederico.

A cantora, que estará nesta quarta-feira na Fields, em Florianópolis, respondeu algumas perguntas por e-mail, contando um pouquinho dessa ascensão meteórica.

Você só tem 21 anos e um ano de carreira, mas já é uma das cantoras mais ouvidas no Brasil. Tanta coisa ao mesmo tempo não te assusta? Não te dá uma cobrança que talvez você ainda não tenha maturidade para administrar?

Marília Mendonça: De jeito nenhum! Sempre fui muito responsável e estar onde estou é algo que conquistei, acredito que ser muito segura contribuiu muito. Ainda era pra eu estar plantando e eu já estou colhendo, isso me deixa feliz e satisfeita.

O ano de 2016 não foi só o seu ano, outras tantas mulheres surgiram no sertanejo e estão no topo das listas das músicas mais tocadas do país. Em outras entrevistas você já comentou que tanto sucesso está associado com o fato de vocês cantarem o que a mulher quer ouvir. Neste sentido, você considera que isso também está relacionado ao fato de o feminismo estar sendo mais discutido? Você se considera feminista?

Marília Mendonça: Não me considero feminista não, não levanto bandeira alguma, fico feliz pelo espaço que conquistamos, acredito que igualdade seja o objetivo, termos tanto espaço quanto os homens.

A falta de referências muitas vezes inibe grandes talentos. Não tínhamos muitas vozes femininas no sertanejo, por exemplo, como e quando você decidiu ir para este caminho?

Marília Mendonça: Eu comecei a escrever e sempre gostei decantar, ouvia muito pop rock, muito Zezé e Luciano, e foi bem na minha adolescência mesmo que eu comecei a cantar em casa, para amigos, foi quando tudo começou.

Além de cantar você também é compositora. Como você recebe as críticas ao sertanejo? Da falta de originalidade nas letras, por exemplo?

Marília Mendonça: Essa história deve ser bem antiga, eu não ouço isso! O que ouço bastante é justamente o contrário disso, que nossas letras são originais e verídicas, aliás, o sertanejo pelo segundo ano consecutivo dominou as paradas de sucessos do Brasil.

Serviço

O que: Marília Mendonça na Fields
Quando: 11/1, quarta-feira
Horário: 23:00
Classificação: 18 anos
Ingressos: www.ingressonacional.com.br


 
 
Hora de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros