Enfim, entre nós: Tropkillaz faz show na festa de abertura do Floripa Tem 2017 em Florianópolis - Hora

Versão mobile

Clube do Assinante07/01/2017 | 07h02Atualizada em 07/01/2017 | 07h02

Enfim, entre nós: Tropkillaz faz show na festa de abertura do Floripa Tem 2017 em Florianópolis

Leia entrevista com o duo de música eletrônica brasileiro que é sucesso no exterior e, finalmente, está caindo nas graças do público brasileiro

Enfim, entre nós: Tropkillaz faz show na festa de abertura do Floripa Tem 2017 em Florianópolis Lost Art/Divulgação
Os DJs e produtores André Laudz e Zé Gonzales (Zegon) são os nomes por trás do Tropkillaz Foto: Lost Art / Divulgação

O trap ainda nem era moda e os DJs e produtores André Laudz e Zé Gonzales (Zegon) já misturavam música eletrônica com a batida do Hip Hop e capelas de rap. Pois eles foram tocar na Sibéria e enlouquecer milhares (sim!) de fãs na Rússia antes de, finalmente, cair nas graças do público brasileiro. Laudz e Zegon são os nomes por trás do projeto Tropkillaz, atração da festa de abertura do Floripa Temamanhã, na Safe, em Florianópolis. Sócios do Clube do Assinante têm 30% de desconto.

Se você ainda não sabe o que é o Tropkillaz, duas dicas: ouça as músicas Baby Baby, catapultada ao sucesso depois de emplacar um comercial há dois anos, e Mambo, som que viralizou na pátria da vodca em 2012.

— Não sei por que bombou lá fora antes. Essa fusão do hip hop com a música eletrônica, que é a escola que a gente vem e que rotularam como trap, é nova aqui e em outros países que a gente começou tocar. No Brasil, a música eletrônica é muito dominada pelo house, um estilo mais ¿bonzinho¿ — diz o DJ paulistano Zegon, 47 anos.

Ele conheceu o curitibano André Laudz, 24 anos, pela internet há seis anos. De gerações diferentes, eles tinham em comum o mesmo background, o interesse em house, funk, rap, eletro e a mistura disso tudo.

— A gente começou brincando, compartilhando músicas online. Ele mandava um som e eu devolvia com outra coisa. Quando fui a São Paulo, passamos o dia todo produzindo e daí foi surgindo. O Tropkillaz existe há quatro anos, é um projeto que foi acontecendo naturalmente, não foi planejado — diz Laudz.

O primeiro lugar que o Tropkillaz explodiu foi na Rússia. Mambo, terceira música gravada pelo duo, foi lançada na VK, rede social popular por lá.

— Começaram a tuitar e escrever pra gente em russo sem parar. Foi viral e logo nos chamaram para tocar. Depois disso, já fizemos várias turnês — conta Zegon.

O duo é popular também na França, na Alemanha e nos Estados Unidos. No ano passado, eles foram o head line de um importante festival na Coreia do Sul, onde se apresentaram para 20 mil pessoas.

Parceria com Karol Conka

É a primeira vez que o Tropkillaz realiza turnê por 10 cidades do Brasil. No ano passado, eles fizeram nada menos que oito turnês internacionais. Em 2015, foram 10. Com tantos shows agendados, a dupla quase não tem tempo para se dedicar a projetos solo. Mas os convites para produzir outros artistas brasileiros já surgiram. Uma delas é a rapper Karol Conka, também atração do Floripa Tem, no dia 21, no Trapiche de Beira-Mar.

 — A Karol é como se fosse da família, ela é do nosso crew. A gente não estava aberto para produzir, começou a rolar naturalmente. Foi assim com o NXZero e MC Guimê. Agora estamos focados no álbum da Karol, que deve sair em março, e trabalhando em nosso álbum também — adianta Zegon.

A festa Chocolate, evento oficial de abertura do Floripa Tem, terá ainda o DJ Dubstrong.

 Agende-se

O quê: abertura do Floripa Tem 2017 com Tropkillaz e DJ Dubstrong
Quando: sábdo, a partir das 23h
Onde: Safe Floripa (Rua João Pachêco da Costa, 43, Lagoa da Conceição, Florianópolis)
Quanto: R$ 40 (fem) e R$ 50 (masc), 1º lote. Sócios do Clube do Assinante têm 30% de desconto para compra antecipada no site Blueticket
Informações: (48) 3717-5403

 
 
Hora de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros