DJ Alok reúne 70 mil pessoas no centro de Florianópolis para pular ao som de música eletrônica - Hora

Versão mobile

Pré-carnaval 19/02/2017 | 21h47Atualizada em 20/02/2017 | 15h08

DJ Alok reúne 70 mil pessoas no centro de Florianópolis para pular ao som de música eletrônica

Brasileiro mais proeminente da cena eletrônica mundial se apresentou domingo à tarde em cima de um trio elétrico na Praça Fernando Machado

DJ Alok reúne 70 mil pessoas no centro de Florianópolis para pular ao som de música eletrônica Diorgenes Pandini / Agência RBS/Agência RBS
Público de 70 mil pessoas, segundo a Polícia Militar, ocupou a avenida Paulo Fontes e entorno da Praça Fernando Machado Foto: Diorgenes Pandini / Agência RBS / Agência RBS

Fevereiro, domingo de sol em Florianópolis, calor de 35°C às 14h. Praia? Não. O destino de 70 mil pessoas foi a Praça Fernando Machado, onde um trio elétrico com DJs abriu oficialmente o carnaval na cidade. Sem marchinhas, samba, funk ou pagode, o público queria mesmo era pular ao som de beats, groove e bass. Alok, o DJ brasileiro mais proeminente da cena eletrônica mundial, foi a atração mais aguardada e fez o Centro tremer. 

O goiano de 25 anos é uma celebridade da e-music. É o primeiro brasileiro a ultrapassar as 100 milhões de audições no Spotify — o hit Hear Me Now, parceria com Bruno Martini e Zeeba, lançada em outubro do ano passado, ultrapassou a marca de 100 milhões de audições na plataforma. 

Foto: Diorgenes Pandini / Agência RBS

Depois de ter se apresentado para 30 mil pessoas em Balneário Camboriú no sábado, ele veio a Florianópolis para comandar o som do bloco "Vem elétrico que o trio é redondo", evento gratuito de pré-carnaval. O DJ começou a apresentar o set às 17h15min para um público suado e sedento.

— Tocar no Carnaval para mim é especial, principalmente em Santa Catarina, que é o pólo da música eletrônica — disse, poucos minutos antes de começar a apresentação.

Foto: Diorgenes Pandini / Agência RBS

Trouxe dois convidados: Iro, músico que conheceu numa estação de metrô em Nova York e com quem fez a canção Me & You; e Zeeba, cantor brasileiro que é a voz do hit Hear Me Now

Brazilian Bass, o som do Alok 

Por que Alok faz tanto sucesso? O DJ é número 1 no ranking da publicação brasileira House Mag e número 25 no ranking da britânica DJ Mag, a mais prestigiada publicação de música eletrônica do mundo. Com sets que combinam beats e a malemolência tupiniquim, Alok faz um estilo que ele próprio apelidou de Brazilian Bass. Segundo o DH, o nome surgiu na necessidade de classificar seu som, que não era techno ou house. E o apelido passou a representar não apenas a música de Alok, mas também o trabalho de novos artistas que estão estourando com a mesma linha sonora.

— Tem groove, swing. O público do Brasil gosta disso — explica.

DJ Alok é o brasileiro melhor ranqueado nas publicações internacionais Foto: Diorgenes Pandini / Agência RBS

Trio Treme Terra

O caminhão onde os DJs tocaram é conhecido do público do Axé. É o Treme Terra, que já serviu de palco para a Banda Eva e Ivete Sangallo. As 35 toneladas de equipamentos de som equivalem a 80 mil watts de potência, com um alcance de até 10 quilômetros. 

O trio começou às 14h na Praça XV de Novembro, na Rua Arcipreste Paiva. Ainda cedo, o público já se aglomerava na Praça Fernando Machado, onde o caminhão estacionou na sequência. Além de Alok, os DJs Dropack, Sevenn, Bhaskar, Liu e Doozie também se apresentaram.

Público nem ligou para o calor de mais de 30 graus Foto: Diorgenes Pandini / Agência RBS

Leia também:
Próxima semana é de preparação da Nego Quirido para o desfile das escolas de samba de Florianópolis
Ingressos estão quase esgotados para o Municipal da Raça
Confira a programação do Carnaval 2017 em Santa Catarina
Confira a programação do Carnaval 2017 em Florianópolis

 
Hora de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros