Em vídeo, dançarinas do É o Tchan! reclamam do grupo: "A gente é tratada que nem cachorro" - Hora

Desabafo02/02/2017 | 15h45Atualizada em 02/02/2017 | 15h45

Em vídeo, dançarinas do É o Tchan! reclamam do grupo: "A gente é tratada que nem cachorro"

Joyce Mattos e Zanza Pereira afirmam terem sido expulsas do palco durante um show por não obedecerem pedido inviável de Compadre Washington. Joyce anunciou sua saída do grupo no Instagram. 

Em vídeo, dançarinas do É o Tchan! reclamam do grupo: "A gente é tratada que nem cachorro" Reprodução / Instagram/Instagram
Zanza Pereira e Joyce Mattos Foto: Reprodução / Instagram / Instagram

Um vídeo feito pelas dançarinas do grupo É o Tchan! Joyce Mattos e Zanza Pereira vazou na internet nesta quinta-feira, onde elas reclamam que foram expulsas do palco e que são maltratadas pelos integrantes do grupo, em especial, pelo Compadre Washington.

"São uma e pouco da manhã, estamos prontas para o show, e nós fomos colocadas para fora do palco porque existe uma linha no palco, que é é uma coisa incondicional de se dançar porque fica em cima dos músicos", relata Joyce, que também reclama por não ter aumento de salário.

Leia mais sobre famosos e entretenimento

"Sempre fomos humilhadas o tempo todo. A gente tem a humilhação também de não ir pra televisão. Sendo que quando a banda estava morrendo, a gente ia para a televisão. Recebemos a mesma remuneração há cinco anos", explica Joyce, que recebe o apoio da colega de palco:

"Cresceu a visibilidade da banda e o número de shows, mas continuamos ganhando a mesma coisa. Fomos expulsas do palco porque não obedecemos de dançar na linha, uma linha esta que não tem condições de ser obedecida por ser em cima dos nossos colegas de trabalho. Se a gente fizer um movimento de braço, a gente agarra no instrumento e machuca".

Na gravação realizada dentro de um ônibus, Joyce deixa claro que a culpa é de Compadre Washington.

"A produção mais o cantor, o Compadre Washington, no caso, foi o culpado. Se descontarem meu cachê serei obrigada, realmente, a fazer essa denúncia. Porque a gente não está aqui pra ficar no ônibus, a gente está aqui para trabalhar."

"Vocês estão insatisfeitos com o nosso trabalho? Demitam a gente ao invés de ficar pisando e maltratando e se desfazendo da gente. Somos mulheres e a gente é tratada que nem cachorro mesmo.", disse Joyce. "A gente está cansada de ser humilhada, de ser pisada", completou Zanza.

"É desumano. O que a gente passa aqui é desumano. E mesmo assim a gente está aqui, porque a gente precisa trabalhar. A gente ama viver da dança, não nessas condições de trabalho que somos colocadas, mas a gente precisa. Agora, é complicado ser humilhada desse jeito. Sempre ficamos caladas em diversas situações que já passamos. Os fãs falam, fãs comentam sobre isso, e a gente nunca disse nada. Sempre nos calamos porque precisamos trabalhar."

Joyce usou o Instagram para anunciar sua saída do grupo. Ela ficou cinco anos no posto de morena do É o Tchan!, que já foi de Scheila Carvalho.

"Hoje, terça-feira, 31 de Janeiro de 2017, eu venho em respeito ao público que aprecia o meu trabalho junto ao É o Tchan declarar que não faço mais parte do grupo. Quem diria, eu uma ex-vendedora de lojas, performance GLS, sem beleza, sem corpo, sem perfil e sem ser graduada em dança entraria para uma banda de tamanha grandiosidade. Ocupei o espaço sim de morena do Tchan, mas esse posto nunca foi meu...", escreveu Joyce.

Hj terça feira 31 de Janeiro de 2017 eu venho em respeito ao público que aprecia o meu trabalho junto ao É o Tchan declarar que não faço mais parte do grupo. Quem diria, eu uma ex vendedora de lojas, performance GLS, sem beleza, sem corpo, sem perfil e sem ser graduada em dança entraria para uma banda de tamanha grandiosidade.Ocupei o espaço sim de morena do Tchan, mas esse posto nunca foi meu...Assim batalhei por espaço com os pés firmes e bem a par da realidade de que fazia parte de um corpo de baile e tudo que eu passava na banda me deixava mais crente disso. Esse título pertence a banda e quem entrar nela vai utilizá-lo por um tempo. Pois então meu tempo acabou, e a sensação de dever cumprido me acalma o coração, 10 mil vezes que entrei no palco foram 10 mil de amor, que incomodou muitos e alegrou outros...Mas enfim, ruim ou bom, dei o meu melhor, me doei por inteira e me dediquei, e acreditem, até eu acho que não foi o bastante.O sentimento de saudade fica e o maior orgulho que tenho de todas minhas atitudes é que enquanto estive na banda eu fui agraciada pela maior recompensa, os FÃS, esses que a partir de hj não sei quais irão continuar, mas enquanto estive me acompanharam e apoiaram, valeram cada suor e sorriso que derramei mesmo quando na verdade deveriam ser lágrimas!!São a vcs meu obrigado, são pra vcs as satisfações, foi graças a vcs minha evolução e são de vcs que eu sentirei falta, pq são os únicos que davam valor a tudo isso.Foi no Tchan que soube e aprendi o valor disso, e esse é o maior obrigado que eu posso dar a banda permitindo que ocupasse esse posto por todo esse tempo. Cada ano que passei foi pq minha dedicação ao trabalho falava mais alto que qualquer incomodo, qualquer crítica ou ñ aceitação.Muitas coisas vividas, muitos aprendizados, uma experiência inimaginada, mas como tudo na vida tem seu começo, meio e fim. Cheguei ao fim bem demorado com a durabilidade de 5 anos 4 meses e exatos 20 dias, e hj posso dar o meu adeus com o coração calmo e com a sensação de dever cumprido. Obg a todos pela atenção e carinho, fiquem tranquilos, como todo fim, ñ é fácil, mas estou muito bem e convicta que já havia passado da hora do fim acontecer.

Um vídeo publicado por Joyce Mattos (@joycemattosoficial) em


O grupo É o Tchan! publicou um comunicado em sua página no Facebook confirmando o desligamento da dançarina, mas não entrou em detalhes sobre o episódio.




 
 
Hora de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros