Escola de samba de Palhoça conta história da criação do mundo a partir da visão dos índios guaranis - Hora

Versão mobile

Carnaval 201726/02/2017 | 03h13Atualizada em 26/02/2017 | 19h00

Escola de samba de Palhoça conta história da criação do mundo a partir da visão dos índios guaranis

Nação Guarani foi a terceira agremiação a desfilar pela Passarela Nego Quirido, em Florianópolis

Escola de samba de Palhoça conta história da criação do mundo a partir da visão dos índios guaranis Cristiano Estrela/Agencia RBS
Foto: Cristiano Estrela / Agencia RBS

Quinta colocada no desfile das escolas de samba no ano passado, a Nação Guarani olhou para dentro neste Carnaval. Na Passarela Nego Quirido, a agremiação de Palhoça contou com muitas cores, ritmo e samba no pé a criação do mundo a partir do ponto de vista dos próprios índios guaranis. A expectativa é de um resultado melhor para este ano, mesmo com as possíveis penalidades cometidas. 

Apesar do orçamento reduzido, a Nação Guarani trouxe duas alegorias - uma no início e outra no fim do desfile - e 18 alas divididas em quatro setores. Já na comissão de frente, a escola surpreendeu o público com a coreografia apresentada. Dessa vez pelo figurino, a ala das baianas também se sobressaiu. Outro ponto alto foi caracterizado pela participação de pessoas com deficiência em uma das aulas - o que foi aplaudido pelos foliões nas arquibancadas e camarotes.

A escola, no entanto, teve dois problemas técnicos bastante visíveis. O primeiro deles foi com a primeira alegoria, que parecia ter dificuldades para locomover-se e precisava constantemente da força braçal de integrantes da própria agremiação. Em uma das tentativas de empurrar o carro alegórico, até o presidente Márcio José Schitz precisou intervir. Ele permaneceu otimista em uma avaliação prévia no meio do desfile:

— Acreditamos em uma boa apresentação, porque trabalhamos muito para isso — frisou. 

O segundo problema enfrentado pela escola de Palhoça esteve relacionado com o tempo. As últimas alas, por exemplo, foram apressadas por integrantes da equipe de Evolução e Harmonia. Não foi suficiente: a escola extrapolou em 32 segundos o tempo limite de apresentação, fixado em 1h10min, conforme o regulamento, e deverá ser penalizada. 

A resposta virá na apuração, que acontece na tarde da próxima segunda-feira. A primeira-princesa, Mayara Costa, mostrou-se otimista no momento em que cruzou o portão da dispersão: 

— Demos o nosso melhor. Não vi as outras, mas estou muito confiante com o meu desempenho e da minha escola — disse ao final. 

Confira detalhes de todos os desfiles:

Leia também:

Saiba como foi a noite de desfiles em Florianópolis

Acompanhe a cobertura do Carnaval 2017 em SC

Confira a programação do Carnaval 2017 em Santa Catarina

Veja as atrações do Carnaval em Florianópolis

Nove festas alternativas para curtir no Carnaval

 
Hora de Santa Catarina
Busca