Joaçaba: Unidos do Herval leva para a avenida a magia do carnaval em desfile colorido - Hora

Versão mobile

Folia no meio-oeste26/02/2017 | 04h55Atualizada em 26/02/2017 | 18h54

Joaçaba: Unidos do Herval leva para a avenida a magia do carnaval em desfile colorido

Tradicional escola de samba do meio-oeste encerrou a primeira noite de desfiles em Joaçaba

Joaçaba: Unidos do Herval leva para a avenida a magia do carnaval em desfile colorido Betina Humeres / Agência RBS/Agência RBS
Desfile da Unidos do Herval levou para avenida ícones do carnaval, como a fantasia de colombina Foto: Betina Humeres / Agência RBS / Agência RBS

Segunda escola mais antiga da região, a Unidos da Herval levou a magia do carnaval para a Avenida do Samba, no Centro de Joaçaba. Com o enredo Eu profanei, pulei, brinquei, foram as ordens do Rei, a agremiação de Herval d¿Oeste homenageou a brincadeira do momo com os ícones mais tradicionais da folia desde tempos remotos: os bailes de máscaras em Veneza, as fantasias de arlequim e colombina e aquela e a possibilidade de esquecer os problemas por alguns dias para ser feliz sem motivo.

Comissão de frente apresentou um carnaval de rua Foto: Betina Humeres / Agência RBS

A escola, que em 2016 ficou em segundo lugar, ousou ao desfilar com cinco carros alegóricos, além de 13 alas. Saudou deuses egípcios, construiu um templo para a deusa Ísis, para lembrar dos rituais com música, bailes e a embriaguez, realizados no solstício de inverno e cheia do rio Nilo. O Egito e a deus Ísis inspirou também a fantasia da ala das baianas, que rodaram com vestidos dourados. 

Deu espaço para a luxúria, as orgias dionísicas, até chegar à Veneza. Dedicou uma ala aos gondoleiros da noite e reproduziu na quarta alegoria um baile de máscara na antiga Veneza. A Unidos do Herval fez também uma bonita homenagem à folia em Joaçaba. A 11ª ala lembrou dos tempos em que o carnaval era considerado coisa do diabo na região meio-oeste. 

Carros alegóricos coloridos da Unidos do Herval Foto: Betina Humeres / Agência RBS

O quinto e último carro alegórico, reviveu os salões de baile de carnaval e trazia a bandeira das quatro escolas da Liesjho na frente.O samba enredo, escrito por Zezzo Henzze, Rogério Madruga e André Diniz, melódico e com bela letra, contagiou o público. 

Deusa Ísis inspirou fantasias Foto: Betina Humeres / Agência RBS

A bateria do Mestre Max encerrou o desfile, com direito a coreografia e com o público invadindo a passarela.

Confira galeria da primeira noite de desfiles:

Leia mais notícias:
Veja como foi o desfile da Acadêmicos do Grande Vale
Confira a programação completa das festas no Estado 
Veja nove festas alternativas para o Carnaval

AO VIVO: Siga os desfiles das escolas de samba de SC

 
Hora de Santa Catarina
Busca