Oscar 2017: saiba como deverá ser a premiação e onde assistir - Hora

Versão mobile

Cinema24/02/2017 | 15h21Atualizada em 26/02/2017 | 13h03

Oscar 2017: saiba como deverá ser a premiação e onde assistir

Cerimônia deste domingo será transmitida ao vivo pelo canal TNT. Globo não exibe em razão dos desfile das escolas de samba do Rio 

Oscar 2017: saiba como deverá ser a premiação e onde assistir VALERIE MACON/AFP
No Dolby Theatre, os últimos ajustes são feitos para a cerimônia de entrega do Oscar, marcada para a noite deste domingo Foto: VALERIE MACON / AFP

Hollywood viverá sua noite de folia neste domingo, com apoteose no Dolby Theatre, onde será realizada a 89ª cerimônia de entrega do Oscar. O canal por assinatura TNT inicia a transmissão ao vivo às 21h, com apresentação de Domingas Person e Rubens Ewald Filho. No canal pago E! podem ser acompanhadas, a partir das 19h30min, as movimentações preliminares no tapete vermelho. A Globo optou por transmitir os desfiles das escolas cariocas na noite de domingo e exibirá os melhores momentos da festa na segunda-feira, às 15h20min.

Leia mais:
Especial Oscar 2017: confira sinopses, trailers e críticas dos principais concorrentes
VÍDEO: críticos de ZH comentam cerimônia e dão seus palpites para o Oscar 2017 
A partir de nove ilustrações, confira os indicados a melhor filme no Oscar 

Com apresentação do comediante Jimmy Kimmel, a cerimônia do Oscar 2017 deve ser pautada por provocações a Donald Trump. Com sua postura beligerante e sua política de exclusão, o presidente reforçou sua antipatia junto a Hollywood — um reino forjado com mão de obra de talentos imigrantes. Trump atiçou ainda mais os ânimos afirmando que Meryl Streep, que o criticou no Globo de Ouro, era uma atriz "superestimada". Para quem tinha alguma dúvida, o presidente já avisou que não vai assistir à transmissão.

O Oscar 2017 reserva expectativa na disputa entre as duas produções favoritas ao prêmio de melhor filme e candidatas a fazer história. Indicado em 14 categorias, o musical romântico La La Land: Cantando Estações tem a chance de superar o recorde de 11 estatuetas conquistadas por Ben-Hur, Titanic e O Senhor do Anéis: O Retorno do Rei. Por sua vez, o drama Moonlight — Sob a Luz do Luar pode consagrar Barry Jenkins como o primeiro cineasta negro a erguer o Oscar de melhor direção. Moonlight ganhou corpo em meio à consagração de La La Land e concorre com força em oito categorias, com chances reais de ofuscar o musical, cujo triunfo absoluto até há pouco era pedra cantada.

A disputa entre a alegre exaltação à velha Hollywood e o dedo na ferida de uma chaga social que arde na sociedade americana, representada na jornada do menino negro gay vítima de negligência e violência reflete o arejamento buscado pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas para ampliar a diversidade temática e étnica na premiação. A entidade ampliou seu quadro (são cerca de 7 mil votantes) no ano passado recrutando, 283 novos integrantes de 59 países, entre eles brasileiros como a diretora Anna Muylaert. O racismo nos EUA, por exemplo, ganhou destaque entre concorrentes em diferentes categorias.

Nas categorias de atuação estão as brechas para outros filmes serem reconhecidos, destacando, entre outros, nomes como Casey Affleck, candidado a melhor ator por Manchester à Beira-Mar, Viola Davis, favorita como coadjuvante por Um Limite Entre Nós, e a francesa Isabelle Hupert, indicada a melhor atriz por Elle.

OSCAR NA TV
Domingo, na TNT, a partir das 21h. Haverá tradução simultânea.
O E! exibe a movimentação do tapete vermelho a partir das 19h30min.
Na segunda, a RBS TV mostrará os melhores momentos da festa às 15h20min.

 
Hora de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros