Percussionista rouba a cena e Natiruts faz show nostálgico no Planeta Atlântida - Hora

Versão mobile

Meu reggae é roots04/02/2017 | 22h42Atualizada em 04/02/2017 | 22h42

Percussionista rouba a cena e Natiruts faz show nostálgico no Planeta Atlântida

Banda de Brasília tocou clássicos de sua carreira e embalou o início da segunda noite de festival

Percussionista rouba a cena e Natiruts faz show nostálgico no Planeta Atlântida Bruno Alencastro/Agencia RBS
Vocalista Alexandre Carlo trouxe um cartaz para o palco anunciando que o festival havia sido SOLD OUT Foto: Bruno Alencastro / Agencia RBS

Em um show nostálgico e repleto de clássicos do início da carreira, o Natiruts mostrou toda a força de seu extenso repertório e a qualidade de seus instrumentistas – em uma apresentação em que as backing vocals Loyd e Claudia e o percussionista Denny Conceição acabaram roubando a cena com suas performances. 

Uma das mais importantes bandas de reggae do Brasil, o Natiruts construiu uma trajetória salpicada por hits nacionais: não à toa, a banda subiu ao palco ao som de Beija-Flor e, na sequência, emendou Meu Reggae é Roots – a plateia estava ganha.

Leia mais:
AO VIVO: acompanhe o segundo dia do Planeta Atlântida 2017
Projota: freestyle, discurso feminista e  pé torcido no primeiro show da noite 

Safadeza, hip hop e romantismo: como foi a primeira noite do Planeta Atlântida

Cantando praticamente tudo junto, a plateia pôde aproveitar a apresentação dos brasilienses para prestar atenção em outros membros do grupo que não o (excelente) vocalista Alexandre. Chamaram a atenção – e foram os mais aplaudidos quando o frontman chamou todos pelo nome – as backing vocals do grupo, que além de cantarem muito promovem uma coreografia cheia de suíngue em frente ao restante do grupo. 

Dançando, pulando, sorrindo e se remexendo todo lá no fundo do palco, o percussionista Denny Conceição empolgou a plateia desde o início da apresentação. Mas foi quando Alexandre chamou o músico para a frente do palco, onde ele fez uma performance ensandecida, que ficou decretado: estava ali a melhor pessoa do Planeta Atlântida até o momento.

Sabendo alternar entre sucessos recentes, hits do passado e algumas composições novas, o Natiruts embalou o início de noite com o melhor do reggae do Brasil. Ao fim, antes de Liberdade Pra Dentro da Cabeça, o vocalista do grupo anunciou:

– Vamos tocar uma que acho que vocês conhecem! 

É claro que a plateia conhecia. E cantou junto.

 
Hora de Santa Catarina
Busca