Com muita ação e sotaques variados, novela "Novo Mundo" estreia em ritmo acelerado - Hora

Versão mobile

Crítica22/03/2017 | 21h05Atualizada em 23/03/2017 | 09h59

Com muita ação e sotaques variados, novela "Novo Mundo" estreia em ritmo acelerado

Nova novela das seis aposta na mistura de história do Brasil com ficção e traz Caio Castro como Dom Pedro I

Com muita ação e sotaques variados, novela "Novo Mundo" estreia em ritmo acelerado Reprodução/TV Globo/Divulgação
Caio Castro como Dom Pedro I Foto: Reprodução / TV Globo/Divulgação

Na volta das tramas de época à faixa das 18h, a Globo apostou na mistura de ficção com história real. Novo Mundo estreou nesta quarta-feira com um primeiro capítulo bem tradicional, apresentando apenas os personagens principais. Mas já deixou três boas impressões: o capricho na ambientação (cenografia/figurino), a fotografia e as cenas de ação.

A novela de Thereza Falcão e Alessandro Marson vai retratar o período pré-Independência do Brasil. Nesta estreia, conhecemos os casais protagonistas: Dom Pedro I (Caio Castro) e Leopoldina (Letícia Colin) e Joaquim (Chay Suede) e Anna (Isabelle Drummond). O jovem príncipe português foi mostrado como um mulherengo. De cara já apareceu com uma mulher casada e tendo que fugir do marido que descobre a traição. Logo depois, seduz a bela dançarina Noèmie (Luisa Micheletti). Em seguida, Leopoldina se mostra uma jovem apaixonada apenas pela foto do futuro marido e se preparando para a viagem da Europa ao Brasil. A austríaca tem aulas de português com a jovem inglesa Anna, que a acompanhou na festa de despedida em terras europeias e embarca com ela no navio.

Leia mais:
Novo Mundo: saiba quem é quem na nova novela das seis
Relembre atores que viveram (ou ainda serão) Dom Pedro I na televisão e no cinema 

Já o humilde ator Joaquim se vê em apuros quando sua mulher, Elvira (Ingrid Guimarães), tenta roubar ouro durante a festa de Leopoldina. E também conhecemos Thomas (Gabriel Braga Nunes), o oficial da marinha inglesa contratado por portugueses para levar a família real de volta à Europa. Ele será o grande vilão da história.

A cidade cenográfica que retrata o Rio de Janeiro lembra muito a de Liberdade, Liberdade (novela das 23h exibida no ano passado e que falava sobre a Inconfidência Mineira). Aliás, o diretor das duas tramas é o mesmo, Vinicius Coimbra. E o mesmo cuidado na ambientação visto na novela que fez sucesso em 2015 está sendo levado ao ar agora. Além dos trajes, figurinos e maquiagem, os cenários foram muito bem trabalhados para remeter ao século 19. E a fotografia também teve cuidado especial — o efeito da luz de velas piscando deu todo o ar de tempos antigos.

Foto: Reprodução / TV Globo

Ainda no quesito ambientação, é notável o empenho dos atores no trabalho do sotaque. Letícia carrega no português com entonação típica dos germânicos. Isabelle apresenta um sotaque mais britânico, enquanto Caio precisa falar o português de Portugal. Nesse ponto, quem deu uma deslizada foi Ingrid Guimarães, mas nada que comprometa a atuação.

As cenas de ação deram o tom da estreia de Novo Mundo, com muita correria, perseguição e tiros. Muito bem dirigidas e editadas — lembram muito a franquia Piratas do Caribe, algo que repercutiu bastante nas redes sociais. E essa deve ser a pegada da trama: uma mescla de romance e aventura. E como um capítulo inicial que se preze, terminou quando o mocinho, Joaquim, reencontrou a mocinha, Anna, dentro do navio. Protocolar, mas com potencial para melhorar.

Foto: Ellen Soares / TV Globo Divulgação

P.S: a trilha sonora também é destaque. Será toda instrumental e foi uma encomenda especial do diretor Vinicius Coimbra para ao produtor musical Sacha Amback (eles já haviam trabalhado juntos em Liberdade, Liberdade). As 26 músicas orquestradas foram gravadas na República Tcheca e estarão no álbum que deve chegar ainda nesta semana às lojas.

P.S. 2: a abertura em 3D faz um belo resumo do que será a novela. Ficou muito bonita. Confira:


 
Hora de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros