Rolê com Edsoul: notas sobre o Carnaval de Florianópolis 2017 - Hora

Versão mobile

Opinião01/03/2017 | 19h14Atualizada em 01/03/2017 | 19h14

Rolê com Edsoul: notas sobre o Carnaval de Florianópolis 2017

A dificuldade financeira foi notável, mas teve muita superação na avenida

Rolê com Edsoul: notas sobre o Carnaval de Florianópolis 2017 Arquivo Pessoal / Divulgação/Divulgação
Foto: Arquivo Pessoal / Divulgação / Divulgação
Rolê com o Edsoul
Rolê com o Edsoul

edsoul.amaral@rbstv.com.br

::: Josué Costa, presidente da Embaixada Copa Lord, investiu dinheiro próprio para que a escola fosse para a avenida fazer bonito. Foi um Carnaval da superação com muito êxito.

::: Os jurados, que vieram do Rio Grande do Sul, julgaram um samba de 1996 que foi campeão pela Copa Lord e não deram uma nota 10 sequer... Será que eles entendem de samba-enredo?

::: A Coloninha deu um verdadeiro exemplo de festa na Rua Tupinambá. Tio Bóca e Seu Tita fizeram falta no desfile, mas o legado é imenso.

::: Muito embora estivesse tímida quanto à localização e sinalização, ainda assim a Liesf conseguiu organizar com o pouco que teve. Óbvio que se a iniciativa privada tivesse feito um investimento um pouco maior a nossa cultura teria sido mostrada de uma forma mais adequada.

::: É muito legal a Ambev trazer artistas nacionais para os eventos durante o Carnaval, mas nós temos grandes artistas locais que poderiam fazer parte da festa, como Samba Aí e Dazaranha. Mesmo não sendo do Carnaval, o Daza lota qualquer lugar e pode colocar mais de 30 mil pessoas tanto quanto Ludmilla, MC Sapão e Turma do Pagode.

Leia mais comentários no Rolê com Edsoul


 
Hora de Santa Catarina
Busca