O Tempo Não Para: estreia faz referência ao filme Titanic e personagens agradam público - Hora

Versão mobile

 

Frenético02/08/2018 | 12h45Atualizada em 02/08/2018 | 12h45

O Tempo Não Para: estreia faz referência ao filme Titanic e personagens agradam público

Com muitos acontecimentos em um único episódio, o primeiro capítulo empolgou a audiência com seu ritmo frenético

O Tempo Não Para: estreia faz referência ao filme Titanic e personagens agradam público TV Globo/Divulgação
Bento (Bruno Montaleone) e Marocas (Juliana Paiva) Foto: TV Globo / Divulgação

Estreou segunda-feira a nova novela das sete da TV Globo, O Tempo Não Para. No folhetim, acompanhamos a história de uma família congelada em 1886 que desperta nos dias atuais em São Paulo.  Na trama, um navio naufraga ao se chocar em um iceberg e, devido à baixa temperatura da água, 13 passageiros acabam congelados. Após um século submersos, uma parte dos tripulantes é levada pela maré até a fictícia Ilha Vermelha, enquanto a outra passa a ser estudada e recebe ajuda para se realocar à nova realidade.  

O Tempo Não Para: saiba quem é quem na nova novela das sete

O capítulo começou apresentando os protagonistas, Dom Sabino (Edson Celulari), planejando a pomposa festa de debutante da filha Marocas (Juliana Paiva), que apareceu na trama logo em seguida, posando para a pintura de um retrato seu. Ao lado, a mãe, Dona Augustina (Rosi Campos), tentava acalmar a impaciência da filha. Marocas se revelou logo no início rebelde, tomando banho no rio e apoiando o abolicionismo para a dama de companhia Damásia (Aline Dias).  Pelas redes, o público comparou Marocas com Amália, de Deus Salve o Rei, dizendo que a mocinha da nova novela agradou em seu início mais do que a outra.

A situação esquentou quando Dom Sabino encontrou a filha na beira do rio com o poeta Bento (Bruno Montaleone) nu. O patriarca da família saiu com espingardas na mão para "salvar" a honra da filha e acertou um tiro no rapaz, que sobreviveu. Dom Sabino, no entanto, acreditou que havia matado o poeta. Principalmente após o rapaz forjar o próprio velório para poder se encontrar com a mocinha. 

A situação saiu do controle quando um amigo do poeta sem querer botou fogo na roupa de Bento, que o fez levantar do caixão, revelando a farsa. Contra a vontade de Marocas, Dom Sabino obrigou a filha a se casar com o poeta para não perder sua honra. Já na igreja, a mocinha surpreendeu a todos dizendo não em frente ao padre. Fazendo referência ao empoderamento feminino, Marocas convenceu o pai a respeitar sua opinião, justificando que foi ensinada a prezar sempre por sua independência, como se fosse um filho homem. 

A família então embarcou no famigerado navio em direção à Inglaterra - medida que Dom Sabino tomou para aceitar a recusa de Marocas ao casamento. Pai e filha se reconciliaram e o grande baile de debutante da jovem ocorreu em alto-mar. Mas outra confusão se deu, quando o patriarca encontrou Bento trabalhando como garçom na tripulação. Repentinamente, o navio se chocou com um ice-berg, em clara referência ao Titanic. A embarcação afundou e a novela entrou em uma elipse, por meio de uma montagem com acontecimentos mundiais que mostraram a passagem do tempo até os dias de hoje. 

Na sequência, o surfista Samuca (Nicolas Prattes) encontrou o pedaço de gelo no mar, já se despedaçando, na fictícia Ilha Vermelha. O galã então resgatou primeiro Marocas e a levou para a beira da praia. A mocinha acordou nos braços de Samuca. 

Com muitos acontecimentos em um único episódio, a estreia agradou o público, que já se apegou a alguns personagens. Outro destaque foi para a trilha-sonora, que também empolgou a audiência com seu ritmo frenético.

Leia também as notícias da Grande Florianópolis

 
Hora de Santa Catarina
Busca