Em realidades bem opostas, Londrina e JEC voltam a se encontrar pela Série B - Esportes - Hora de Santa Catarina

Versão mobile

Futebol02/09/2016 | 21h09

Em realidades bem opostas, Londrina e JEC voltam a se encontrar pela Série B

Para vencer o tradicional rival da década de 1990, Tricolor terá de furar o bloqueio da melhor defesa da competição. Boa fase de Jael é o trunfo do técnico Lisca neste sábado

Em realidades bem opostas, Londrina e JEC voltam a se encontrar pela Série B Rodrigo Philipps/Agencia RBS
Jael marcou nos três últimos jogos pelo JEC Foto: Rodrigo Philipps / Agencia RBS

Antes de a Série B começar, dificilmente algum torcedor do Tricolor apostaria que o JEC, campeão em 2014, estaria na 18ª colocação bem distante do Londrina, recém-promovido da Série C, que hoje ocupa a sexta posição após 22 rodadas. E é neste cenário de condições bem opostas que os tradicionais rivais da década de 1990 voltam a se encontrar em Londrina, neste sábado, às 18h30, no Estádio do Café.

Leia mais notícias sobre o JEC

O duelo entre paranaenses e catarinenses não acontecia havia 15 anos no Estádio do Café. E o JEC terá uma dura missão no retorno à casa do Tubarão: furar a defesa montada pelo técnico Cláudio Tencati. Nestes 22 jogos, o Londrina sofreu apenas 16 gols e tem a melhor defesa da competição, o que ajuda a entender o porquê deste bom desempenho na Série B.

O Joinville, em contrapartida, soma apenas 15 gols marcados, número que o coloca como segundo pior ataque do campeonato. Como então o Tricolor pode ter um resultado bom diante de um adversário com estatísticas bem mais positivas?

Se você pensou em Jael, acertou. É no camisa 9 que o técnico Lisca mantém esperanças de trazer um bom resultado. Os últimos jogos têm ajudado a crer no Cruel. Ele marcou os três gols do JEC diante de Luverdense, Criciúma e Bahia, fato que rendeu ao time mais cinco pontos na tabela de classificação.

— Quando o Jael veio para cá, era esse o objetivo. E o Jael, realmente, além de fazer os gols, tem sido uma liderança muito positiva de postura, de entrega, de liderança mesmo, de assumir, é o capitão da equipe e já é um cara que conhece o Joinville, conhece as pessoas, conhece o presidente, as entrelinhas do clube e tem feito este trabalho e mostrado aos jogadores o caminho.

Mas, apesar da boa fase do atacante, Lisca espera contar com gols de outros jogadores para buscar os três pontos.

— Os outros jogadores estão criando, mas precisam aproveitar as oportunidades, né? O Giva já teve, o Bruno Farias já teve, o Bruninho (Ribeiro) já teve um ou outro chute. Mas realmente precisamos que mais gente faça gol. Não podemos ficar só com o Jael.

A NOTÍCIA

 
Hora de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros