Quadra do ginásio municipal de Biguaçu está caindo aos pedaços  - Esportes - Hora de Santa Catarina

Versão mobile

DESCASO30/09/2016 | 08h25Atualizada em 30/09/2016 | 08h25

Quadra do ginásio municipal de Biguaçu está caindo aos pedaços 

Piso de madeira está podre e repleto de buracos; quando chove, é tanta goteira não tem como jogar nada lá

Quadra do ginásio municipal de Biguaçu está caindo aos pedaços  1/Agencia RBS
Buraco aberto mostra que madeira está podre Foto: 1 / Agencia RBS

O atleta de handebol do time municipal de Biguaçu Odinei Farias ficou de fora do Jogos Abertos de Santa Catarina (Jasc). O jogador de 29 anos trincou duas costelas em agosto, enquanto treinava no Ginásio de Esportes Nagib Salum. Era contra-ataque, mas estava chovendo, e o campo do adversário, repleto de goteiras. Acabou resvalando numa poça d'água e caindo de lado numa pedaço da quadra desnivelada.

Confira todas as notícias sobre Biguaçu

— Não tem mais como treinar quando chove lá. E sem treinar direito, acabamos não conseguindo nos preparar bem para os campeonatos. Já perdemos algumas participações, inclusive — lamenta o atleta.

Mesmo com a costela trincada, Odinei arriscou jogar no Jasc, no dia 2 de setembro, na cidade de Braço Norte. Acabou rasgando o músculo da costela e teve que abandonar a competição. O atleta agora voltou para os trabalhos como pecuarista.

O ginásio municipal fica na avenida Getúlio Vargas, no centro de Biguaçu. Quem passa pela frente vê um prédio reformado e pintado. Dentro, as arquibancadas e banheiros também estão em boas condições. Por isso, as pessoas que vão assistir alguma partida acabam não tendo noção do estado que está a quadra, feita de taco de madeira.

São muitos buracos, alguns bem profundos. Em outros onde funcionários da prefeitura taparam com massa de cimento, há desnível. As goteiras deixaram a madeira podre, que acaba inchando e criando ondulações. Para corrigir alguns problemas, foram colocados parafusos, só que eles podem causar novos acidentes.

funcionários da prefeitura taparam buracos com massa de cimento, o que gerou diversos desníveis Foto: 1 / Agencia RBS

Há 10 anos, o professor de taekwondo Luiz Bezerra, 30, toca um projeto social em Biguaçu com cerca de 70 alunos entre 8 e 14 anos. As aulas acontecem em três escolas da cidade. Mas o treino específico de competição era feito no ginásio municipal. Teve que cancelar os treinos.

— O mesmo está acontecendo com vários outros professores de diversas modalidades. Sendo que toda vez que tem chuva, não tem treino, não precisa nem avisar os alunos. É uma pena, porque são muitas atividades importantes para as crianças que acabam não acontecendo — lamenta o professor.

A prefeitura explica que o prédio é muito antigo, foi inaugurado em 1979, e as reformas não estão sendo suficientes. O ginásio tem capacidade para 1,2 mil pessoas e costuma sediar eventos como os Jogos de Verão, Jogos Escolares de Biguaçu (JEBIG), JESC e as as fases regionais dos Joguinhos Abertos de Santa Catarina, além de festivais de música.

A secretária de governo da prefeitura, Ge Ronconi, explica que o salão já foi reformado diversas vezes, mas que o prédio foi concebido de forma errada.

— A gente conserta o telhado, e ele continua vazando. Ano passado, reformamos tudo e de novo está dando goteira. O único jeito é trocar totalmente o telhado. E é o que nós vamos fazer — promete.

Ge Ronconi salienta também que está em construção o novo ginásio da cidade, no Loteamento Deltaville, na Avenida Beira-Rio. Conforme a prefeitura, serão beneficiadas as comunidades do Vendaval, Alto Biguaçu, Santa Catarina e Rússia. A obra será realizada através de convênio com o Ministério do Esporte. O projeto tem valor de R$ 1 milhão, com contrapartida do Município de R$ 317 mil.

 
 
Hora de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros