Relembre outros casos de acidentes aéreos com sobreviventes - Esportes - Hora de Santa Catarina

Versão mobile

Na história30/11/2016 | 17h22Atualizada em 30/11/2016 | 18h31

Relembre outros casos de acidentes aéreos com sobreviventes

Passageiros e tripulantes conseguiram ser resgatados com vida em quedas com diversas vítimas fatais

Relembre outros casos de acidentes aéreos com sobreviventes Bruno Alencastro/Agencia RBS
Foto: Bruno Alencastro / Agencia RBS
ZH Esportes
ZH Esportes

Casos de acidentes aéreos com sobreviventes em meio a um grande número de fatalidades, como aconteceu com o avião da Chapecoense que caiu próximo ao aeroporto de Medellín, não são incomuns na história da aviação civil. Apesar de raros, os episódios em que pessoas conseguiram sair vivas de destroços mostram a importância de seguir os procedimentos de segurança em acidentes – como destacou o tripulante Erwin Tumira, um sobreviventes da tragédia na Colômbia.

Relembre outros casos de acidentes graves com sobreviventes:

Acidente do Lokomotiv Yaroslavl, 2011

A equipe russa do Lokomotiv Yaroslavl viajava para uma partida da liga nacional de hóquei no gelo, em 2011, quando o avião sofreu um acidente ainda na decolagem, em Yaroslavl. Das 45 pessoas que estavam a bordo, 44 morreram, e apenas um sobreviveu: o engenheiro aéreo Alexander Sizov. Ele confirmou ter seguido o protocolo e utilizou uma das posições de impacto para tentar se salvar na queda.

– No impacto, tudo começou a voar, e algo me atingiu com força do lado esquerdo do corpo – explicou Sizov, ainda no hospital.

Leia mais:
TV boliviana gravou imagens com a delegação da Chapecoense antes do voo
Avião da Chapecoense desrespeitou plano de voo, admite companhia
Áudio mostra relato de piloto à controladora de voo: "Falha elétrica total e sem combustível"

Queda do voo Afriqiyah Airways 771, 2010

O garoto holandês Ruben van Assouw, de 9 anos, foi o único sobrevivente da queda do A330-200 da Afriqiyah Airways, da Líbia. O acidente ocorreu pouco antes do pouso no aeroporto de Trípoli, capital do país – o voo havia partido de Joanesburgo, na África do Sul. No total, 103 pessoas morreram, incluindo seus pais e seu irmão.

Queda do voo Air Algérie 6289, 2003

O 737-200 da Air Algérie caiu durante o processo de decolagem do aeroporto de Tamanrasset, na Argélia, em março de 2003. O acidente deixou 102 mortes, e apenas uma pessoa sobreviveu: o argelino Youcef Djilalli, 28 anos. Ele assumiu uma das posições recomendadas e, assim que o avião bateu, conseguiu deixar os destroços antes de o fogo tomar conta do local.

Queda do JAT 367, 1972

O acidente sofrido pela companhia iugoslava JAT em janeiro de 1972, enquanto sobrevoava a antiga Tchecoeslováquia, foi marcante para a vida da comissária de bordo Vesna Vulovic. O avião DC-9 explodiu em pleno ar, em altitude de cruzeiro, devido a uma bomba levada a bordo por um terrorista croata.

Com a explosão, o avião se despedaçou, e Vulovic caiu 10,1 mil metros até o chão. Ela estava no setor intermediário do avião na hora da explosão e foi encontrada dentro da fuselagem, com traumatismo craniano, duas vértebras quebradas e uma completamente esmigalhada e ambas as pernas quebradas. Apesar disso, se recuperou completamente após 27 dias em coma e seguiu trabalhando como funcionária da empresa. O acidente deixou 27 vítimas fatais.

Milagre nos Andes, 1972

Talvez o caso mais famoso de acidente aéreo com sobreviventes, o voo fretado pelo time de rúgbi uruguaio Old Christians caiu em meio aos Andes em outubro de 1972. O avião, um Fairchild FH-227D, atingiu uma montanha e perdeu as duas asas e a cauda antes de parar, com parte da fuselagem intacta, em uma montanha localizada próxima à fronteira entre Argentina e Chile.

Das 45 pessoas a bordo, 12 morreram na queda ou nos dias seguintes, e os 27 sobreviventes procuraram meios para ser resgatados. Eles foram obrigados a recorrer ao canibalismo para continuar vivos. Uma avalanche deixou mais oito mortos, e três outras vítimas não resistiram à provação antes de dois passageiros, Nando Parrado e Roberto Canessa, terem partido a pé em busca de socorro. Os 16 sobreviventes foram resgatados em dezembro, depois de 72 dias nas montanhas.

*ZHESPORTES


 
 
Hora de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros