Colombianos reforçam conexão com a Chapecoense e tentam ajudar na reconstrução a partir da base - Esportes - Hora de Santa Catarina

Um mês do acidente29/12/2016 | 04h05Atualizada em 29/12/2016 | 04h05

Colombianos reforçam conexão com a Chapecoense e tentam ajudar na reconstrução a partir da base

Envigado é referência na formação de jovens jogadores

Colombianos reforçam conexão com a Chapecoense e tentam ajudar na reconstrução a partir da base Marco Favero/Agencia RBS
Chapecoense tem mais de 300 jovens em seus polos de formação de atletas pela região Foto: Marco Favero / Agencia RBS

No bairro humilde de Envigado há um segredo guardado a sete chaves pelos colombianos. Ali, no município vizinho a Medellín, uma fórmula secreta é usada para revelar alguns dos principais craques do futebol do país. E o segredo que ajudou a moldar nomes como Freddy Guarín, Jackson Martínez, David Ospina, Juan Fernando Quintero, James Rodríguez e Falcão Garcia está prestes a ser revelado a um estrangeiro pela primeira vez.

Só que não é um forasteiro qualquer. Na condição de irmão mais novo, o povo chapecoense já ganhou a cidadania colombiana por adoção. E, portanto, a Chape está credenciada pelos antioquenhos (povo de Medellín e regiões arredores) para beber do elixir da especialidade deste lugar mágico e que intriga olheiros do mundo do futebol pela fertilidade em talentos.

O primeiro passo foi dado com o convite ao sub-12 da Chapecoense para participar do torneio Pony Fútbol, que é a ponta do iceberg na revelação de garotos no país e que hoje é responsável pela base da seleção nacional. O surpreendente trabalho tem o berço no Envigado Fútbol Club, inexpressivo no profissional, mas uma mina de ouro entre os jovens. É o clube que fornece também ao Atlético Nacional grandes talentos. Os atleticanos são os atuais campeões do Pony, competição que a Fifa namora para virar o Mundial sub-12.

Infelizmente, a Chapecoense teve de recusar o convite para o Pony, que começa dia 7 de janeiro, como explica o jornalista esportivo Daniel Cardona, do periódico El Colombiano:

– Muitas ações estão sendo pensadas para unir Atlético Nacional e Chapecoense, Medellín e Chapecó, e a primeira seria a presença da Chapecoense no torneio Pony Fútbol, que é o mais importante do país, infelizmente o clube não poderá vir por questões logísticas – lamenta.

O gerente da base da Chapecoense, Cesar Dal Piva, o Mano, explica a recusa:

– São garotos das escolinhas, que chamamos de polos da base, mas estamos nas férias escolares, não teríamos como montar o time para algo tão próximo.

Unir-se com a Chape na prospecção de atletas, contudo, é uma contribuição que o Atlético Nacional mira com carinho. O gerente esportivo, e ex-jogador do clube, Victor Marulanda, revê o passado e pensa no futuro:

– Há ainda um período de luto, de sofrimento, mas visualizamos, no futuro, a aproximação das instituições em diferentes esferas, e uma delas é a esportiva. Penso que uma das contribuições do Atlético Nacional possa ser o intercâmbio e a metodologia de investimento na base, cujos resultados são respeitados no mundo todo – avalia Marulanda.

De fato: se a Chapecoense sempre foi mestre em montar times profissionais, com especial habilidade nos atacantes, se beber do elixir de Envigado, completará um ciclo importantíssimo. O clube que contou com atacantes como Bruno Cazarine, Bruno Rangel, Paulo Rink, Rodrigo Gral, Índio, Ananias, Lucas Gomes e Kempes poderia começar a brilhar, também, na revelação de atletas.

E o embrião já existe, como confirma Mano.

– Temos mais de 300 jovens até 14 anos em 19 polos em toda região Oeste e em outros estados. Inclusive, já estão separados nomes para integrar a pré-temporada, que ainda teriam mais um ano na base, casos de Zago, Gabriel, Perotti e Guarapuava. Eles não vão à Copa São Paulo porque já se juntaram ao profissional. Claro que um intercâmbio deste nível com os colombianos só ampliaria os horizontes, seria um passo importante – avalia.

Veja mais notícias sobre a Chapecoense

Investigação na Colômbia aponta que avião da Chapecoense tinha sobrecarga e plano de voo irregular
Sobrevivente fala que clima era feliz dentro do avião e que não houve desespero
"Em primeiro lugar estão as famílias", diz presidente que tem missão de reconstruir a Chape
Chapecoense conhece rivais na Libertadores de 2017
Novo dirigente da Chapecoense quer montar time que dê orgulho ao torcedor
Chapecó se despede de seus ídolos
Medellín faz reverência histórica e inesquecível à Chapecoense em noite de homenagens na Colômbia


 
 
 

Siga Hora no Twitter

  • horasc

    horasc

    Hora de SCEm noite de ataques e tiroteio intenso, quatro veículos são incendiados em Florianópolis https://t.co/NO4Nw673Yz https://t.co/5rSwd7NwNqhá 12 minutosRetweet
  • horasc

    horasc

    Hora de SCBom dia! Já buscou a sua Hora desta quarta-feira, 26 de abril, nas bancas? #HoraSC https://t.co/jFa3jvvdkf https://t.co/e5BjQbhax3há 31 minutosRetweet
Hora de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros