Neto e Alan Ruschel devem voltar a treinar em um mês, segundo médico da Chapecoense - Esportes - Hora de Santa Catarina

Versão mobile

Sobreviventes07/02/2017 | 15h44Atualizada em 07/02/2017 | 18h25

Neto e Alan Ruschel devem voltar a treinar em um mês, segundo médico da Chapecoense

Carlos Mendonça afirmou que recuperação é surpreendente

Neto e Alan Ruschel devem voltar a treinar em um mês, segundo médico da Chapecoense Sirli Freitas/Chapecoense
Foto: Sirli Freitas / Chapecoense
darci debona

O zagueiro Neto e o lateral esquerdo Alan Ruschel, sobreviventes do acidente aéreo ocorrido há 70 dias com a delegação da Chapecoense, devem voltar a treinar fisicamente dentro de um mês. A previsão é do médico do clube, Carlos Mendonça, que concedeu entrevista no Jornal do Almoço da RBS TV nesta terça-feira.

— A recuperação deles é surpreendente, esperamos que em um mês a gente possa vê-los no gramado treinando — afirmou Mendonça.

Alan Ruschel está em trabalho de fisioterapia para cicatrização de um ligamento da coluna, que teve um deslocamento no acidente. Também precisa recuperar 15 quilos de massa muscular que perdeu no período.

Neto teve uma fratura na quinta vértebra da coluna e uma lesão grave nos ligamentos do joelho direito. Havia possibilidade de uma nova cirurgia mas, segundo o médico, esse risco agora é de apenas 10%.

Neto voltou a correr há uma semana na Arena Condá e Alan Ruschel já faz algumas corridas há mais de duas semanas.

De acordo com o fisioterapeuta Guilherme Dias Carli os atletas estão alternado corridas com o trabalho de recuperação das lesões, da musculatura e também da mobilidade. São duas horas de trabalho por dia.

Outro sobrevivente da tragédia, o goleiro Follmann, está em São Paulo, onde fez um tratamento para recuperação da lesão no tornozelo esquerdo pela primeira vez caminhou com a prótese da perna direita. Disse estar feliz feito uma criança quando ganha um doce ou um carrinho.

De acordo com o médico Carlos Mendonça, Follmann deve retornar a Chapecó na sexta-feira e permanecer 10 dias na cidade, com uma prótese provisória. Depois retorna a São Paulo para os testes finais com outro modelo até a confecção de uma prótese definitiva, em fibra de carbono, que deve ser importada da Alemanha.

Mendonça, que esteve na Colômbia após a tragédia, ficou emocionado ao ver Follmann caminhar depois de tudo o que aconteceu.

— No início a gente torcia para que os quatro (Neto, Alan, Follmann e Rafael Henzel) voltassem com vida — lembrou, sobre sua ida à Colômbia.

O jornalista Rafael Henzel já voltou a trabalhar na rádio Oeste Capital e a narrar os jogos da Chapecoense. Ele inclusive narrou o amistoso entre Brasil e Colômbia junto com Galvão Bueno, pela Rede Globo.

Além dos quatro somente duas pessoas da tripulação sobreviveram. Morreram 71 pessoas entre a delegação da Chapecoense, imprensa e tripulação.

Leia outras notícias da Chapecoense

Follmann dá primeiros passos com prótese: "Estou igual a uma criança"

Mulher do lateral-esquerdo Dener, da Chapecoense, retoma a vida com produção de brigadeiros 

 
 
 

Siga Hora no Twitter

  • horasc

    horasc

    Hora de SCEspaço do Trabalhador: prefeitura lança editais para 224 vagas no comércio ambulante https://t.co/ZtwRFGIo93… https://t.co/lzSYe3mdOXhá 22 minutosRetweet
  • horasc

    horasc

    Hora de SCVÍDEO: "Não se acovardem", pede professora de Indaial a colegas de profissão https://t.co/0ASE5NFXNI #HoraSC https://t.co/CgwZsI9Fbjhá 50 minutosRetweet
Hora de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros