Rodrigo Faraco: Márcio Goiano e Figueirense podem se ajudar - Esportes - Hora de Santa Catarina

Voltou17/02/2017 | 07h38Atualizada em 17/02/2017 | 07h38

Rodrigo Faraco: Márcio Goiano e Figueirense podem se ajudar

Treinador foi contratado após a demissão de Marquinhos Santos

Rodrigo Faraco: Márcio Goiano e Figueirense podem se ajudar Charles Guerra/Agencia RBS
Foto: Charles Guerra / Agencia RBS

O Figueirense traz de volta o técnico Márcio Goiano num momento em que o clube precisa dele, pela identificação forte que tem, e que ele precisa muito também do clube, para tentar recomeçar uma carreira de técnico que parecia ser muito promissora em 2010. Um pode ajudar o outro. A identificação foi o fator que mais pesou para a escolha.

E é justamente essa ligação que pode tirar mais de Goiano. Ele não vai deixar simplesmente acontecer. Vai querer fazer diferente, dando toda a dedicação que o clube precisa e sabendo que não pode admitir qualquer resultado. Goiano, é preciso analisar, não decolou na carreira de técnico. Precisa desta relargada para volta ao cenário mais importante do mercado – entre as séries A e B. Nada melhor do que fazer isto em casa. 

Três nomes na mesa

Depois da sondagem a Jorginho, que está sem clube depois da saída do Vasco, o Figueirense passou a trabalhar com três nomes. Jorginho pediu irreais R$ 250 mil de salário, mas disse que na verdade esperava um convite da Série A. Daí, de forma mais concreta e objetiva, a direção do Figueirense passou a trabalhar com três nomes: Marcelo Mabília, Hemerson Maria e Márcio Goiano.

Além do peso da identificação com a torcida e com o clube, foram fatores favoráveis a Goiano a experiência de Série B, o custo menor e o jeito de trabalhar os times, propondo jogo. Contra Mabília o peso era não ter experiência de Série B. Contra Maria, o fato de armar times com base nos sistemas defensivos e o fato de querer trazer o auxiliar Émerson Nunes e o preparador Alexandre Souza. 

2010: um time muito bom

O Figueirense tinha, sob o comando de Márcio Goiano, um grande time em 2010. A escalação era Wilson, Lucas/Bruno, João Filipe, Róger Carvalho e Juninho; Ygor, Túlio, Maicon e Firmino/Fernandes; Willian e Reinaldo. Era um grande time para uma Série B. Poderia ter sido o campeão daquele ano.

Até o turno, esteve realmente na briga pelo título. Dois grandes méritos de Goiano foram o reposicionamento de Maicon, que passou a armar o time vindo de trás, e o aproveitamento de garotos como eram Firmino e Juninho. O time subiu com folgas. Sempre esteve entre os melhores porque era realmente um dos melhores.

Leia mais comentários de Rodrigo Faraco


 
 
Hora de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros