Rodrigo Faraco: decepção na Ressacada com a eliminação do Avaí - Esportes - Hora de Santa Catarina

Versão mobile

Fora02/03/2017 | 00h17Atualizada em 02/03/2017 | 00h17

Rodrigo Faraco: decepção na Ressacada com a eliminação do Avaí

Colunista da Hora fala sobre a partida do Avaí contra o Luverdense

Rodrigo Faraco: decepção na Ressacada com a eliminação do Avaí Charles Guerra/Agencia RBS
Foto: Charles Guerra / Agencia RBS

O Avaí, no todo dos 90 minutos, jogou e produziu pra ganhar, mas o início do jogo contra o Luverdense custou muito caro. Nos primeiros 20, 25 minutos o Avaí deu muito espaço no meio de campo, sem intensidade e sem proximidade das linhas, como é característico da equipe.

O Luverdense, um time bem treinado e que valoriza muito a posse de bola, soube aproveitar. Tocando e envolvendo, a equipe do Mato Grosso abriu o placar e aumentou as dificuldades para o Leão. No segundo tempo tudo mudou com as entradas de Caio César e Júnior Dutra, o Avaí foi só ataque, enquanto o adversário era só defesa. O time produziu pra virar o jogo, mas não teve competência nas finalizações e muitas vezes esbarrou no goleiro Diogo Silva, que foi o melhor em campo. 

Dois pecados custaram caro

O primeiro pecado do Avaí foi entrar em campo como se estivesse jogando um jogo qualquer. Sem intensidade e dando espaços ao adversário, o Leão foi envolvido e só foi jogar de verdade para decidir a partir dos 30 minutos. Era preciso entrar forte desde o começo e o alerta foi dado ontem pelo técnico Claudinei Oliveira.

O segundo pecado veio com as cobranças de pênaltis. No geral, o Avaí bateu muito mal. A boa atuação do goleiro Diogo Silva parece ter desestabilizado os jogadores do Leão. Marquinhos e Rômulo bateram mal e Leandro Silva foi péssimo. 

Leia mais comentários de Rodrigo Faraco


 
 
 
Hora de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros