Rodrigo Faraco: perdas de qualidade com as saídas de Marcos Seixas e Marco Tedeschi - Esportes - Hora de Santa Catarina

Versão mobile

 

Opinião09/12/2017 | 08h30Atualizada em 09/12/2017 | 08h30

Rodrigo Faraco: perdas de qualidade com as saídas de Marcos Seixas e Marco Tedeschi

Dupla de preparadores foi demitida pelo Figueirense na sexta-feira

Rodrigo Faraco: perdas de qualidade com as saídas de Marcos Seixas e Marco Tedeschi Charles Guerra/Agencia RBS
Foto: Charles Guerra / Agencia RBS

O Figueirense demitiu nesta sexta-feira dois profissionais de referência da comissão técnica: o preparador físico Marcos Seixas e o preparador de goleiros Marco Tedeschi. Os dois estavam no clube desde 2013. 

Figueirense demite preparador físico e preparador de goleiros

Tedeschi chegou ao Figueira no início daquele ano por indicação do técnico Adilson Batista, e Seixas veio em setembro indicado pelo executivo Rodrigo Pastana e pelo técnico Vinícius Eutrópio. Os profissionais cumprem férias neste momento e foram avisados da demissão por telefone. Marcos Seixas está no exterior e disse que foi surpreendido pela ligação quando entrava numa montanha russa com os filhos. Estava bastante decepcionado e não quis estender a conversa, apesar de confirmar a informação. O mesmo ocorreu com Marco Tedeschi. Em férias na capital catarinense, estava arrumando as malas para viajar para Curitiba, quando recebeu a ligação com a informação do desligamento. Também não quis falar muito sobre o assunto, apesar de demonstrar a mesma decepção. 

O que é preciso registrar é que são dois profissionais que comprovaram a qualidade do trabalho deles no período em que estiveram no clube. O Figueirense passa realmente por adequações financeiras e faz suas escolhas. Mas não cabe algum reparo ao trabalho de Seixas e Tedeschi nestes cinco anos. 

Histórico positivo 

Seixas se destacou no Figueirense e teve seguidas convocações para a Seleção Brasileira, sendo vice-campeão mundial em 2015, como preparador da Seleção Sub-20, no mundial da Nova Zelândia. Mas o ponto alto foi a conquista do Ouro Olímpico, com Neymar e companhia, na Rio 2016 – as duas conquistas com o técnico Rogério Micale. Já Marco Tedeschi virou referência depois que teve o trabalho destacado no treinamento de goleiros que fizeram sucesso no Figueira em três temporadas seguidas. Tedeschi foi o preparador de Tiago Volpi, em 2014, Alex Muralha em 2015 e Gatito Fernandez em 2016.

A versão da direção

A justificativa da direção é a reformulação que está sendo executada, que atende aspectos profissionais e financeiros. O diretor/investidor Claudio Vernalha explicou, em conversa que tive com ele por telefone, que as demissões se ajustam a uma adequação financeira do clube e que foram feitas por telefone porque os profissionais estavam em férias e a direção entendeu que era melhor antecipar a liberação deles no mercado, em vez de esperar a volta das férias para anunciar as demissões, o que facilitaria uma recolocação imediata deles no mercado. Vernalha fez elogios aos dois profissionais, mas novamente considerou a questão financeira, pois os profissionais se valorizaram neste período e passaram a ser caros para o atual Figueirense.

Leia mais comentários de Rodrigo Faraco
Zagueiro do Figueirense, Marquinhos é punido com um ano por doping

 

Siga Hora no Twitter

  • horasc

    horasc

    Hora de SCParticipantes do "BBB 19" já estão confinados em hotel no Rio, diz jornal https://t.co/tk6lkMwiLdhá 3 minutosRetweet
  • horasc

    horasc

    Hora de SCJustiça manda governo fazer reforma em escola de Florianópolis https://t.co/f8liM3hSekhá 1 horaRetweet
Hora de Santa Catarina
Busca