Kleina rechaça favoritismo da Chape antes da estreia no Catarinense 2018 - Esportes - Hora de Santa Catarina

Versão mobile

 

Estadual16/01/2018 | 16h14Atualizada em 16/01/2018 | 16h16

Kleina rechaça favoritismo da Chape antes da estreia no Catarinense 2018

"Não somos favoritos", diz treinador do Verdão; time tenta o tricampeonato nesta temporada

Kleina rechaça favoritismo da Chape antes da estreia no Catarinense 2018 Sirli Freitas/Chapecoense
Foto: Sirli Freitas / Chapecoense

A Chapecoense não pretende carregar nas costas o peso do favoritismo no Campeonato Catarinense 2018. Atual bicampeão, o Verdão do Oeste tenta o terceiro título consecutivo, porém, o técnico Gilson Kleina rechaçou que o time seja o principal candidato à conquista.

Antes da estreia, quarta-feira, às 20h30min, contra o Concórdia, Kleina afirmou que jamais tratou esse "favoritismo" com o elenco da Chape. O treinador destacou o equilíbrio no Catarinense e o respeito com os adversários, uma vez que nesta temporada o Estadual conta com oito clubes que já foram campeões em alguma oportunidade. 

Dos 10 times na disputa do Catarinense 2018, apenas Concórdia e Tubarão não estiveram no topo do futebol do Estado. O Figueirense é o maior campeão, com 17 títulos, enquanto que a Chape busca, nesta edição, chegar à sétima conquista. 

O que esperar do time na estreia?
– A gente manteve a base do ano passado. Acho que isso pode ser o melhor parâmetro, a melhor receita para termos um êxito neste campeonato. A gente sabe que qualquer tipo de estreia é difícil. Vamos enfrentar uma equipe dentro dos seus domínios, uma equipe forte e que vem trabalhando há um bom tempo. As informações que chegam é que é um gramado muito diferente do que a gente treina e as condições de campo são bem diferentes. A gente vai tentar se adaptar. Eu entendo que vai ser um jogo de posição física. Com muito jogo aéreo, muito combate. Espero que nós possamos desempenhar nosso futebol, fazer o melhor.

O que esperar do Concórdia?
– É uma equipe que está há algum tempo treinando junto. Foi campeã do acesso da divisão. Manteve-se a comissão técnica, o Mauro Ovelha é um grande treinador. Também manteve uma base muito boa. O que me chama a atenção é que é uma equipe de estatura alta. É uma equipe com bastante jogo aéreo, com o Rafael Santiago, tem zagueiros e volantes que têm uma bola parada bem trabalhada. É uma equipe que, na perda da bola, agrupa forte. Marca forte. O que temos que entender é que nós temos que manter nosso espírito. Saber que não tem jogo fácil, que ninguém ganha ao natural.

A Chapecoense é favorita no jogo e no Catarinense?
– Nunca fizemos um discurso aqui e trabalhamos com favoritismo. Jamais. Nós temos que ser competentes. Temos o maior respeito com qualquer clube que vamos enfrentar no Catarinense. É um campeonato muito equilibrado, com vários postulantes ao título, um dos mais equilibrados do Brasil. A nossa preparação foi curta, ainda tem muita coisa para evoluir, mas temos que ter o foco para cada jogo.

Leia mais sobre a Chapecoense
Confira outras notícias sobre esportes

 
Hora de Santa Catarina
Busca