Para Milton Cruz, vitória na raça "mostra espírito" do Figueirense - Esportes - Hora de Santa Catarina

Versão mobile

 

Série B13/06/2018 | 07h31Atualizada em 13/06/2018 | 07h31

Para Milton Cruz, vitória na raça "mostra espírito" do Figueirense

Treinador valoriza entrega dos jogadores para alcançar o triunfo sobre o Sampaio Corrêa

Para Milton Cruz, vitória na raça "mostra espírito" do Figueirense Cristiano Estrela/
Foto: Cristiano Estrela
DC Esportes
DC Esportes

O Figueirense venceu o Sampaio Corrêa por 1 a 0, na 11ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. Jogo complicado pela expulsão do alvinegro Zé Antônio ao final da primeira etapa e também pelo gramado pesado pela chuva nesta terça-feira, em Florianópolis. Garantir o resultado, de acordo com o técnico Milton Cruz, serviu para a equipe mostrar raça e do que é feita. Ele valorizou a entrega dos atletas e moldados para encarar a competição.

— Recebo mensagens de que amigos que este é um time da Segunda Divisão que dá prazer de ver pela qualidade. Mas hoje a chuva não ajudou, o gramado estava pesado, falei aos jogadores que tínhamos de ganhar de qualquer forma, de um jeito ou de outro. Foi o aniversário do clube. Tínhamos que vencer em casa. Não pode recuperar ponto fora porque não ganhou em casa. A vitória foi fundamental, mostrou espírito. Não adiantava só jogar. A Série B exige mais que jogar, exige muita determinação. Temos de ter a malandragem que requer a Segunda Divisão. Estou feliz em poder dar esse presente para a torcida e para o clube, que completou 97 anos de existência — disse o treinador na entrevista coletiva após a partida no Scarpelli.

De acordo com o treinador, um dos fatores da superação do time ante as dificuldades do duelo foi o apoio do torcedor. Ainda que pouco mais de 4 mil torcedores na casa alvinegra, o carinho emanado pelas arquibancadas foi determinante e também reafirmaram o sentimento que Milton Cruz tem para com o clube.

— Foi legal o torcedor vir nos apoiar. Caí no chão quando veio a bola veio na minha direção (na área técnica, no início do segundo tempo), e o torcedor deu carinho depois do lance. Foi legal esse apoio. O jogador também gosta de carinho do torcedor, fica triste quando tem vaia. Vi as esposas e namoradas não deixando o torcedor vaiar a gente (risos). Temos um grupo excepcional, esse grupo é uma família. Venho trabalhar com prazer quando venho trabalho. Isso é legal, esse carinho. E é assim que a gente vai subir. Estou aqui, muito feliz, e espero colocar o Figueirense no lugar em que encontrava quando enfrentava, na primeira divisão. Espero levar no lugar em que merece — declarou-se.

O Figueira ganha tempo e tranquilidade para trabalhar nos próximos dias. O compromisso seguinte será no dia 23 (sábado), às 18h30min, contra o Coritiba no Couto Pereira.

Confira a tabela da Série B do Brasileiro 2018
Leia mais sobre o
Figueirense

 
Hora de Santa Catarina
Busca