Mário Motta: Hospital Infantil muda o acolhimento e a classificação - Geral - Hora de Santa Catarina

Vers?o mobile

 
 

Saúde pública09/08/2016 | 07h16Atualizada em 09/08/2016 | 07h16

Mário Motta: Hospital Infantil muda o acolhimento e a classificação

Novo protocolo passou a ser usado nesta segunda-feira, 8de agosto

Desde esta segunda-feira, 8 de agosto, o Hospital Infantil Joana de Gusmão, na Capital, passou a adotar o protocolo de Sistema de Acolhimento e Classificação de Risco para atendimento de pacientes de urgência. 

Os objetivos da classificação de risco são: avaliar o usuário logo na sua chegada, humanizando o atendimento; reduzir o tempo para o atendimento médico, fazendo com que o paciente seja visto precocemente de acordo com a sua gravidade; determinar a área de atendimento dos usuários (consultório médico ou de enfermagem, sala de observação ou de urgência, sala de verificação de sinais vitais e outros); e informar ao paciente, acompanhante e/ou familiar os tempos de espera para atendimento, conforme o risco e a vulnerabilidade, e para realização de exames, além de outras informações importantes. 

A identificação do risco ocorrerá por classificação de acordo com o estabelecido no protocolo por tipo de prioridade: máxima, alta, médica, baixa e mínima. Cada prioridade é marcada por uma cor e tempo de espera e, de acordo com essas avaliações clínicas, o paciente receberá uma pulseira com diferentes cores indicativas. 

Confira as notícias do colunista Mário Motta
Curta a página do Espaço do Trabalhador no Face

 
Hora de Santa Catarina
Busca