Giro Motorizado: coluna seleciona oito máquinas lendárias - Geral - Hora de Santa Catarina

Versão mobile

Carros13/10/2016 | 14h01Atualizada em 13/10/2016 | 14h01

Giro Motorizado: coluna seleciona oito máquinas lendárias

Colunistas da Hora detalham oito carrões, sonhos de consumo

Falar que estes carros marcaram época é pouco. Alguns estão em ação nos filmes de Hollyood, outros podemos sentir o gostinho pilotando em simuladores de corridas. Há outros modelos desse segmento pelo mundo, mas desta vez o Giro selecionou oito:

Ferrari Testarossa

Foto: Divulgação / Divulgação

O Testarossa portava motor central-traseiro de 12 cilindros opostos construído pela Ferrari. Teve sua produção iniciada em 1984, foi lançado como o sucessor do Ferrari Berlinetta Boxer e encerrou sua produção em 1991. Trata-se de um modelo com características marcantes.O motor montado atrás da cabine, confere ao carro um baixo centro de gravidade, o que aumenta a estabilidade do carro em curvas.O nome ¿Testarossa¿ quer dizer cabeça vermelha em italiano, e se refere a pintura vermelha das tampas das válvulas do motor.Com motor de 390 cv acelera de 0 a 100 km/h em 5,8 segundos e de 0 a 160 km/h em apenas 11,4 segundos.

Lamborghini Countach

Foto: Divulgação / Divulgação

Este Lamborghini foi produzido na Itália. O primeiro protótipo surgiu em 1971 durando até 1990. Um carro de linhas angulosas e retilíneas que ajudou a popularizar o conceito, presente em muitos outros supercarros desde então.Na época, a marca batizava os modelos da marca com o nome de touros consagrados, mas o Countach foge à essa regra. O nome vem da língua piemontesa, e é uma expressão usada para demonstrar a surpresa ao ver algo bonito, também referindo-se à mulheres.Os melhores motores foram os de 5 litros e 5.2 litros no modelo (¿Quattrovalvole¿) com quatro válvulas por cilindro, gerando nada mais nada menos que seus 455 cv.

Porsche 911 turbo

Foto: Divulgação / Divulgação

Em 1975 a Porsche introduziu a primeira versão turbinada de linha do 911. O formato da carroceria é reconhecida pelos para-lamas mais largos, para acomodar os pneus mais largos, além do grande spoiler traseiro.O 911 Turbo tinha um motor boxer de seis cilindros e três litros. Com a ajuda do turbo, a potência passava de 200 para 260 cv e, para lidar com a potência extra, o carro ganhou suspensão especial, freios maiores e câmbio manual de quatro marchas mais robusto.Com forte arranque, fazia de 0 a 100 km/h em 5,5 segundos, atingindo a máxima de 246 km/h.A partir de 1978 mexeram no motor e a potência cresceu para 300 cv.

Corvette c4

Foto: Divulgação / Divulgação

O Corvette C4 foi um marco para a Chevrolet em 1980. O seu aspecto aerodinâmico foi considerado marcante na época, e seu motor V-8 ofereceu alto desempenho.Recebeu o nome C4 porque era a quarta geração deste projeto particular.Seu motor era de 5,7 litros e teve versões iniciais chegando a 230 ou 240 cv e versões posteriores chegando a 405 cv em 1995. Por causa de sua potência, o C4 precisava de uma certa dose de habilidade para conduzi-lo corretamente, quem andou sabe bem como era.No painel havia algo interessante, os mostradores imitavam os digitais, mas era composto de leituras em cristal líquido que exibem o RPM e Km/h.

Toyota supra

Foto: Divulgação / Divulgação

Famoso japonês esportivo tem linhas agressivas e grande aerofólio que gera sustentação negativa e dá mais esportividade ao desenho do carro. O carro é equipado com muita tecnologia, tem controle de tração e excelente capacidade de frenagem.O carro surgiu em 1979, baseado na plataforma do Toyota Celica, porém com algumas características próprias. Modelo de sucesso, até mesmo nos cinemas, foi apenas em 1993 que a quarta e definitiva geração (Mark IV) foi lançada. Desta vez veio duas opções de motorização, sendo uma de 6 cilindros, 3L e 24 válvulas de 223 cv. E outra com as mesmas características, porém com dois turbos que rendiam 324 cv.

Mazda RX7

Foto: Divulgação / Divulgação

Símbolo de velocidade e agilidade. Quando o RX-7 foi lançado, em 1978, já havia um milhão de motores Wankel impulsionando os modelos da marca. O motor 12A, de dois rotores alimentado por carburador, tinha 105 cv de potência.Das três gerações produzidas, a terceira alcançou maior sucesso. Além de filmes, está presente também em jogos de corrida como o famoso ¿Need for Speed¿. Chegou em 1993, trazendo o motor 13B-REW de 1.3 litros com dois turbocompressores sequenciais. A potência era de ótimos 255 cv atingindo incríveis 250 km/h.Em 1995 era lançada a série limitada Sports Coupe Bathurst com motorização mais forte. Existe até hoje no Japão.

Nissan Skyline

Foto: Divulgação / Divulgação

Produzido pela Nissan, sua origem é mais antiga que a própria montadora. A produção do Skyline começou em 1955.Em 1989 chegava o Skyline R32, em versões sedã e coupê, com tração traseira ou integral. A sigla GT-R retornava depois de uma década, no modelo que seria conhecido por ¿Godzilla¿.O sistema Super-HICAS aperfeiçoava a direção nas quatro rodas e o motor de seis cilindros e 2.6 litros, com dois turbos, chegava a 280 cv – poderiam ser mais, não fosse a limitação da legislação japonesa. De 0 a 96 km/h bastavam 4,8 s, tão rápido quanto um Ferrari F355.Para muitos o R32 é ainda o melhor Skyline, por sua agilidade e dimensões.

Honda NSX

Foto: Divulgação / Divulgação

Modelo de trabalho de engenharia, tecnologia de ponta e alta qualidade de construção. Com esta receita a Honda colocava nas ruas, em 1990, o NSX, um esportivo de dois lugares e motor central-traseiro, montado de forma quase artesanal. A carroceria era toda em alumínio, o que diminui o peso.O projeto da cabine foi inspirado no caça americano F-16, com ênfase na ampla visibilidade. Os faróis escamoteáveis consolidam seu charme.O melhor do NSX se esconde sob o capô, ou melhor, atrás dos bancos. Além do motor V6 3.0 de 274 cv, a partir de 97 passou a oferecer um 3.2 de 294 cv – de série na versão norte-americana, vendida sob a marca Acura.

Confira as notícias da coluna Giro Motorizado


 
 
Hora de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros