Assembleia do RJ discute mais seis projetos de ajuste do governo nesta terça - Geral - Hora de Santa Catarina

Versão mobile

Corte de gastos22/11/2016 | 08h48Atualizada em 22/11/2016 | 08h51

Assembleia do RJ discute mais seis projetos de ajuste do governo nesta terça

Entre as propostas que serão debatidas estão o aumento da alíquota do ICMS e o adiamento do aumento salarial dos servidores para 2020

Assembleia do RJ discute mais seis projetos de ajuste do governo nesta terça Tânia Rego/Agencia Brasil
Foto: Tânia Rego / Agencia Brasil
Agência Brasil
Agência Brasil

A Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) discute, nesta terça-feira, mais seis dos 21 projetos do pacote de medidas de corte de gastos do governo Pezão. Entre as propostas que serão debatidas estão o aumento da alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e o adiamento do aumento salarial dos servidores para 2020.

O projeto de lei 2.242/16 prevê aumento da alíquota do ICMS para os serviços de telecomunicação, cerveja, refrigerante, gasolina e energia elétrica.

Já o projeto de lei 2.245/16 adia para o ano de 2020 os aumentos salariais aprovados em 2014, que entrariam em vigor em 2017, 2018 e 2019. A medida afeta os policiais civis, militares, agentes penitenciários e auditores da Receita Estadual.

Leia mais
Caco Barcellos e mais três jornalistas são agredidos em protesto no Rio
Manifestação na Assembleia do Rio tem confronto entre servidores e PM
Cercada por grades, Assembleia do RJ começa a apreciar pacote de Pezão

Outra proposta prevê a extinção dos programas sociais Renda Melhor e Renda Melhor Jovem, criados em 2011 para complementar o Programa Bolsa Família no Estado do Rio de Janeiro.

Outros três projetos preveem a regulamentação da notificação eletrônica da Fazenda Estadual, a extinção dos institutos estaduais de Engenharia e Arquitetura (Ieea) e de Assistência dos Servidores do Estado (Iaserj). Assim como aconteceu com os quatro projetos discutidos na semana passada, eles devem receber emendas parlamentares e só deverão ser votados em dezembro.


 
 
Hora de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros