Cirurgias eletivas no Hospital Celso Ramos são suspensas por falta de leitos - Geral - Hora de Santa Catarina

CRISE NA SAÚDE25/11/2016 | 07h37Atualizada em 25/11/2016 | 11h37

Cirurgias eletivas no Hospital Celso Ramos são suspensas por falta de leitos

Determinação ocorre até a próxima terça-feira, quando situação deverá estar normalizada

Cirurgias eletivas no Hospital Celso Ramos são suspensas por falta de leitos Ricardo Mega / Agência RBS/Agência RBS
Foto: Ricardo Mega / Agência RBS / Agência RBS

O Hospital Celso Ramos, em Florianópolis, suspendeu nesta sexta-feira, as cirurgias eletivas que seriam realizadas na instituição. De acordo com um comunicado - divulgado ontem e assinado pelo diretor do hospital, Márcio Pereira Wendhausen - o motivo seria a superlotação de pacientes

De acordo com a administração, a determinação ocorre até a próxima terça-feira, quando o serviço deverá ser normalizado. Outros atendimentos emergências, no entanto, não devem ser paralisados

A suspensão momentânea de cirurgias eletivas é um procedimento comum nos hospitais quando a capacidade de atendimento está próxima do limite. O objetivo é manter a qualidade no atendimento dos pacientes internados e reduzir a lotação interna, garantindo, ao mesmo tempo, o atendimento de pacientes referenciados e que entram pela porta de emergência. Todos os demais serviços e atendimentos estão normais.

Por nota, a secretaria de saúde informou que o cancelamento momentâneo de cirurgias eletivas é "um procedimento comum nos hospitais quando a capacidade de atendimento está próxima do limite". 

— O objetivo é manter a qualidade no atendimento dos pacientes internados e reduzir a lotação interna, garantindo, ao mesmo tempo, o atendimento de pacientes referenciados e que entram pela porta de emergência. Todos os demais serviços e atendimentos estão normais. 

Confira o comunicado

"Em razão da superlotação que estamos enfrentando pela grande demanda de atendimentos em nosso Serviço de Emergência e pela falta de leitos, estamos suspendendo as cirurgias eletivas a partir do dia 25/11/2016 à 29/11/2016 até que seja regularizada a situação."

Hospital São José, de Criciúma, paralisa atividades

Na quarta-feira, Hospital São José, de Criciúma, comunicou, por meio de nota oficial, a paralisação das atividades devido à falta de pagamentos. Segundo a direção, a unidade hospitalar tem R$ 25 milhões a receber de procedimentos realizados vai Sistema único de Saúde (SUS). 

Somente os pacientes já internados, ou que fazem quimioterapia, radioterapia e hemodiálise, receberão atendimentos, além dos casos de urgência e emergência. A secretaria de saúde do Estado não reconhece a dívida e pretende se reunir com a administração da entidade para discutir a questão. 

Leia mais notícias:
Câncer de próstata: médicos e entidades discordam sobre quando fazer exames de toque e PSA

 
 
Hora de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros