Pílulas de Saber: será que é seguro tratar doenças graves com chás e fitoterápicos? - Geral - Hora de Santa Catarina

Versão mobile

Saúde21/11/2016 | 09h45Atualizada em 21/11/2016 | 17h02

Pílulas de Saber: será que é seguro tratar doenças graves com chás e fitoterápicos?

Nas plantas existem muitas substâncias úteis, mas mesmo nos mais inocentes chás também tem muitas substâncias tóxicas

Carlos Rogério Tonussi
Carlos Rogério Tonussi

tonussi@farmaco.ufsc.br

A maioria da pessoas acha que tomar chás caseiros ou os fitoterápicos de farmácia não fazem mal para a saúde. No entanto, essa ideia pode causar muitos males. A medicina popular reúne uma série de plantas que são utilizadas com a intenção de tratar desde dor de barriga até o câncer. Em muitos casos, os chás caseiros funcionam mesmo, mas não se engane, como qualquer medicamento, se um chá é poderoso o suficiente para produzir um efeito no corpo, então ele pode fazer mal também. 

Nas plantas existem muitas substâncias úteis, mas mesmo nos mais inocentes chás também tem muitas substâncias tóxicas! Existem muitos estudos científicos verificando a eficácia das plantas, mas a grande maioria destes estudos ainda são em animais de laboratório e apenas por estes estudos não se pode dizer que vão funcionar no mesmo jeitou em humanos. 

Segurança em primeiro lugar

Foto: Roni Rigon / Agencia RBS

Não é seguro acreditar que plantas ou cogumelos vão resolver problemas como o câncer, AIDS ou o diabetes, por exemplo. Confiar nesses tratamentos populares pode levar as pessoas a procurarem os médicos tarde demais. Não é seguro juntar chás e plantas com medicamentos de farmácia, pois podem ocorrer combinações tóxicas. Substâncias da planta podem até cortar o efeito do medicamento.Existem dois tipos de diabetes, o tipo 1 ou dependente de insulina, e o tipo 2 ou não dependente de insulina. Como os próprios nomes sugerem, no primeiro os indivíduos se tratam com injeções de insulina, e no segundo com os medicamentos hipoglicemiantes orais. Sem o tratamento adequado qualquer dos dois tipos levam a vários problemas no organismo, que vão progressivamente incapacitando o indivíduo até a morte, ou mesmo ao coma nas formas mais graves da doença.

Existem dois tipos de diabetes, o tipo 1 ou dependente de insulina, e o tipo 2 ou não dependente de insulina. Como os próprios nomes sugerem, no primeiro os indivíduos se tratam com injeções de insulina, e no segundo com os medicamentos hipoglicemiantes orais. Sem o tratamento adequado qualquer dos dois tipos levam a vários problemas no organismo, que vão progressivamente incapacitando o indivíduo até a morte, ou mesmo ao coma nas formas mais graves da doença.

É doce, mas não é mole

É muito sério querer tratar uma doença grave como o diabetes com plantas que podem não ter o efeito que se acredita ter. Umas das plantas mais populares, tanto no folclore quanto hoje em dia na internet, é a pata-de-vaca (Bauhinia forficata). Dizem que ela pode baixar o açúcar do sangue (glicemia) das pessoas, melhorando assim o diabetes. Muitas páginas na internet afirmam até que isto já foi comprovado cientificamente. Atenção, isso NÃO é correto. Nem para a pata-de-vaca, nem para nenhuma outra planta. Para informações corretas consulte esta página. Na verdade, o único estudo que existe testando a pata-de-vaca em humanos com diabetes tipo 2, não mostrou nenhum efeito.

 
 
 

Siga Hora no Twitter

  • horasc

    horasc

    Hora de SCApós rompimento em adutoras, Casan investe RS 2 milhões em prevenção na Grande Florianópolis… https://t.co/n7n2W0lZ5Ohá 52 minutosRetweet
  • horasc

    horasc

    Hora de SCPalhoça aprova lei que permite às mulheres escolher o ponto de parada dos ônibus a partir das 22h… https://t.co/pKO0duCFIdhá 1 horaRetweet
Hora de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros