Corpos devem chegar a Chapecó na madrugada de sexta-feira - Geral - Hora de Santa Catarina

Previsão01/12/2016 | 04h29Atualizada em 01/12/2016 | 09h24

Corpos devem chegar a Chapecó na madrugada de sexta-feira

Após serem liberadas, por volta das 17h no horário oficial de Brasília, vítimas receberão homenagem no aeroporto de Medellín

Corpos devem chegar a Chapecó na madrugada de sexta-feira Diorgenes Pandini/Agência RBS
Foto: Diorgenes Pandini / Agência RBS

Depois de muito trabalho, todas as vítimas do desastre aéreo na Colômbia terminaram de ser identificadas. De acordo com o Instituto Geral de Perícias (IGP) de Santa Catarina, o processo finalizado ainda nesta madrugada - por volta da 1h30min no horário oficial de Brasília - é primeiro passo para a liberação dos corpos. Após os procedimentos legais, segundo o diretor jurídico da Chapecoense, Marcelo Zolet, as vítimas devem ser liberadas às 17h (horário oficial de Brasília) e chegariam na cidade de Chapecó nas primeiras horas de sexta-feira. 

Ainda, de acordo com o necropapiloscopista do IGP, Ruy Fernando Garcia, no processo para trazer os corpos de volta para casa, falta ainda o embalsamento e emissão de certificados de óbito no país. Após isso, haverá uma homenagem no aeroporto de Medellín com a presença de autoridades locais. 

Quem deverá realizar o translado dos corpos serão as duas aeronaves da Força Aérea Brasileira (FAB), que estão em Manuas. Elas aguardam a autorização do governo do Brasil para decolarem sentido Colômbia.

Velório coletivo

O secretário executivo de Assuntos Internacionais, Carlos Adauto Virmond Vieira, afirma que a prefeitura da cidade está organizando um ato de despedida às vítimas do acidente.

— Estão sendo providenciados 70 carros funerários para levar os corpos até o aeroporto de Medellín, onde terá uma cerimônia com honras militares para os atletas e jornalistas que perderam a vida nesta tragédia aqui na Colômbia — afirmou.

Homenagens 

O Estádio Atanazio Girardot, em Medellín, na Colômbia, lotou nesta quarta-feira, mas desta vez não não havia futebol nem festa, somente orações, homenagens e vibrações positivas. Apesar de um momento marcante e dolorido que os brasileiros, catarinenses e chapecoenses nunca gostariam de estar vivendo, a torcida colombiana, cerca 44 mil pessoas, cantaram "Vamos, Chape" em memória aos jogadores e delegação brasileira que acompanhava os atletas.

Já a casa da Chape, que vinha embalada para a inédita final, voltou a ficar cheia nesta quarta-feira à noite. Refletores ligados, arquibancadas lotadas e uma multidão de verde e branco por todos os lados. A Arena Condá abriu os portões para lembrar e homenagear aqueles que partiram na tragédia

Leia também:
Medellín faz reverência histórica e inesquecível à Chapecoense em noite de homenagens na Colômbia
Aeronáutica colombiana afirma que avião caiu sem combustível
O perfil das vítimas e sobreviventes do acidente da Chapecoense
Jovens da base viram peças chave na reconstrução da Chapecoense
Cem mil pessoas são esperadas para velório coletivo na Arena Condá

 
 
Hora de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros