Moradores fecham ligações de esgoto clandestinas por conta própria em Florianópolis - Geral - Hora de Santa Catarina

Versão mobile

Saneamento básico12/01/2017 | 15h07Atualizada em 12/01/2017 | 17h02

Moradores fecham ligações de esgoto clandestinas por conta própria em Florianópolis

Ação da comunidade do Campeche, no sul da Ilha, vai continuar do próximo domingo

Moradores fecham ligações de esgoto clandestinas por conta própria em Florianópolis Mayara Vieira/Agência RBS
Moradores bloquearam saídas com sacas de areia Foto: Mayara Vieira / Agência RBS

Cansados de esperar pelo poder público, os moradores do Campeche, no sul da Ilha, resolveram erguer as mangas e fechar por conta própria as ligações irregulares de esgoto. Com sacas de areia e, em alguns casos, concreto, eles bloquearam saídas. No próximo domingo, pretendem continuar o trabalho. 

No local onde agora existe uma das barreiras, o esgoto cortava uma área de mato junto com a água da chuva, passava pela areia e chegava ao mar. O autônomo Silésio Sabino conta que foi tudo combinado pelas redes sociais:

— Vendo a situação da praia, o esgoto correndo todo aqui, não aguentamos, fomos para a rede social e convocamos este ato para o domingo passado.

A moradora do Campeche, Maria Lúcia das Chagas, diz que existem outros casos mais graves, como um na localidade Lomba do Sabão, próximo a Lagoa da Chica, que somente com concreto para resolver. Ela diz não ter medo que o esgoto estoure em outro local:

— Este ato foi muito bem pensando. Gostaria que esse esgoto voltasse para a casa de quem coloca. Se tiver que estourar, que seja em alguma avenida, mas não na praia — disse. 

Atualmente, o Campeche tem 40 quilômetros de rede pronta para coletar esgoto, mas ainda falta construir mais 10 quilômetros e a Estação de Tratamento. O gerente de construção da Casan, Fábio Krieger, informou que a empresa está dando a ordem de serviço para a construção da estação neste mês. A previsão é de que tenha capacidade para atender até 90 mil habitantes. O cronograma da obra é de dois anos, mas o gerente diz que a Casan pretende antecipar pela metade do tempo. 

Contraponto

Responsável pela fiscalização, a Vigilância Sanitária informou que já possui levantamento de possíveis pontos de lançamento, que serão confirmados ou descartados conforme a sequência das ações. O órgão reforça ainda que a identificação de lançamentos irregulares resultará na punição aos infratores com multas. 

Leia mais notícias da Grande Florianópolis



 

Siga Hora no Twitter

  • horasc

    horasc

    Hora de SCSemana começa com sol entre nuvens em Santa Catarina https://t.co/9Cvk8kR1VW #HoraSChá 1 horaRetweet
  • horasc

    horasc

    Hora de SCBombeiros salvam criança de afogamento em piscina na Capital https://t.co/73vEPURX2N #HoraSChá 2 horas Retweet
Hora de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros