Após cerimônia, Colômbia e grupo ELN iniciam negociação de paz - Geral - Hora de Santa Catarina

Versão mobile

Diálogo08/02/2017 | 08h39Atualizada em 08/02/2017 | 08h50

Após cerimônia, Colômbia e grupo ELN iniciam negociação de paz

Depois do acordo com as Farc, o presidente Juan Manuel Santos tenta fechar pacto de paz semelhante com o Exército de Libertação Nacional

Após cerimônia, Colômbia e grupo ELN iniciam negociação de paz RODRIGO BUENDIA/AFP
Cerimônia de aberta das negociações entre o governo colombiano e o ELN, no Equador Foto: RODRIGO BUENDIA / AFP
AFP
AFP

O governo da Colômbia e a última guerrilha ativa do país, o Exército de Libertação Nacional (ELN), iniciam, nesta quarta-feira, a portas fechadas, no Equador, as negociações para um acordo de paz, após a cerimônia de abertura do processo na terça-feira.

"Mesa com ELN nos enche de otimismo. Novas gerações e vítimas merecem que diálogos avancem e alcancemos a paz completa", escreveu no Twitter o presidente Juan Manuel Santos.

Leia mais
Colômbia e guerrilha ELN iniciam diálogos públicos para negociar paz
Avança negociação entre governo colombiano e a guerrilha do ELN
Guerrilha do ELN liberta soldado capturado na Colômbia

Vencedor do Nobel da Paz pelo acordo assinado em novembro com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), o presidente busca negociar um acordo similar com o Exército de Libertação Nacional para acabar com mais de meio século de guerra interna.

"Este não será um processo expresso, mas tampouco de discussões intermináveis", advertiu Santos, que deixará o poder em agosto de 2018.

Na terça-feira à tarde, depois de três anos de contatos secretos e vários meses de atraso, representantes do governo e da guerrilha abriram formalmente as negociações em uma fazenda que pertence aos jesuítas nas proximidades de Quito, diante de jornalistas de todo o planeta.

— Estamos diante da oportunidade de, por fim, virar a página da guerra — disse o chefe das negociações do governo, Juan Camilo Restrepo.

A cerimônia também contou com a presença de representantes dos países avalistas: Equador, Brasil, Chile, Cuba, Noruega e Venezuela.


 

Siga Hora no Twitter

  • horasc

    horasc

    Hora de SCBattistotti busca acordo para Claudinei seguir no comando do Avaí: https://t.co/R6p7BmDNnt https://t.co/DhgYLjrUWlhá 6 horas Retweet
  • horasc

    horasc

    Hora de SCEm alta no UFC, Paulo Borrachinha ministra seminário em Biguaçu: https://t.co/Egi5zGy15q https://t.co/Cq8WeO0rSFhá 7 horas Retweet
Hora de Santa Catarina
Busca