Sindicato e prefeitura de Florianópolis continuam negociações neste sábado - Geral - Hora de Santa Catarina

Versão mobile

GREVE10/02/2017 | 22h12Atualizada em 10/02/2017 | 22h13

Sindicato e prefeitura de Florianópolis continuam negociações neste sábado

Reunião começou na tarde de sexta e será retomada no fim de semana

Diário Catarinense
Diário Catarinense

A sexta-feira foi marcada por novas tentativas de entendimento entre a Prefeitura de Florianópolis e os servidores municipais em greve, mas o dia se encerrou sem sinalização de acordo entre as partes. Assim, a paralisação continua pelo menos até a próxima segunda-feira, quando a greve completará 28 dias e os rumos do movimento serão decididos em assembleia marcada pelo sindicato da categoria (Sintrasem). O ato será realizado às 13h30min, em frente à Câmara de Vereadores. 

A possibilidade de a categoria votar pelo fim da greve vai depender do sucesso das negociações neste fim de semana. Após passar parte da tarde desta sexta discutindo a pauta de reivindicações dos servidores, representantes do sindicato e da prefeitura interromperam as tratativas com a promessa de retomar a discussão neste sábado, às 9h. Informações sobre eventuais avanços já acordados na primeira parte do encontro não foram divulgadas pelas partes. 

O presidente do Sintrasem, Alex Santos, defende que não haverá acordo se o prefeito Gean Loureiro (PMDB) não revogar o projeto que suspendeu o plano de cargos e salários dos servidores. A prefeitura, por outro lado, não abre mão de colocar em prática as medidas incluídas no pacote de projetos já aprovados pela Câmara.

— A administração anterior esteve em uma situação parecida e assinou um plano de cargos e salários irreal. Não vamos fazer isso — declarou nesta sexta o secretário de Administração, Everson Mendes.

Antes da reunião que colocou representantes do sindicato e do município frente a frente durante a tarde, um encontro que deveria ser intermediado pelo presidente da OAB/SC, Paulo Brincas, terminou com as cadeiras reservadas ao sindicato vazias. A tentativa de conciliação estava marcada para 9 horas. Todo o primeiro escalão da prefeitura compareceu, incluindo o prefeito Gean Loureiro, mas a direção do sindicato não participou com o argumento de que a sede da entidade não era o local ideal para negociar. 

Curiosamente, a cúpula do sindicato se dirigiu até a prefeitura também pela manhã, o que reforçou o desencontro. Sem novidades nas negociações até então, a assembleia realizada pelos servidores na tarde de sexta-feira determinou, por unanimidade, a continuidade da greve. 

Na manhã deste sábado, representantes da categoria vão promover atos com as comunidades do Jardim Atlântico e Coloninha, com concentração em frente à Marinha, e com a comunidade do Saco Grande, com concentração em frente à Escola Donícia Maria da Costa.

 

Siga Hora no Twitter

  • horasc

    horasc

    Hora de SCRolê com Edsoul: a Casan diz que obras forçam as interrupções no abastecimento. https://t.co/VaMeeihQvc https://t.co/hqO7tOdfgIhá 39 minutosRetweet
  • horasc

    horasc

    Hora de SCPapo da Hora: Unidade Básica de Saúde em Biguaçu promove Natal solidário. https://t.co/6wtYZoGWj1 https://t.co/BtuT3J36s1há 1 horaRetweet
Hora de Santa Catarina
Busca