Cobra semelhante à naja é encontrada em Balneário Camboriú - Geral - Hora de Santa Catarina

Meio ambiente10/03/2017 | 20h01Atualizada em 10/03/2017 | 21h15

Cobra semelhante à naja é encontrada em Balneário Camboriú

Animal será mantido em quarentena no zoo do parque Cyro Gevaerd

Cobra semelhante à naja é encontrada em Balneário Camboriú Moisés Ferreira/Reprodução
Foto: Moisés Ferreira / Reprodução

Uma cobra similar à naja, espécie entre as mais perigosas do mundo, foi resgatada pelos bombeiros nesta sexta-feira na subestação de esgoto da Empresa Municipal de Água e Saneamento (Emasa), na Rua 2950, em Balneário Camboriú. O animal foi localizado por servidores que faziam a manutenção periódica do local.

A área onde estava a cobra alterna entre inundada e seca, e fica dois metros abaixo do solo. O sargento Maurílio Leodegario Vieira, que participou do resgate, diz que nunca havia visto uma cobra semelhante na região e que capturá-la foi difícil, pois ela estava bastante agressiva.

O animal foi levado ao zoológico de Balneário Camboriú, no Parque Cyro Gevaerd, onde será identificado e permanecerá em quarentena. As imagens foram feitas por Moisés Ferreira e compartilhadas pelo jornalista Carlos Magagnin.

O biólogo Rodrigo Fischer, especialista em serpentes, diz que algumas características da cobra coincidem com a da naja, como o capelo, aquela "aba" próxima à cabeça, e a mancha que ela tem nas costas. No entanto, ele prefere não afirmar que se trate de um exemplar da famosa serpente africana porque não conseguiu ver o animal de frente.

— É importante ver a dentição e as escamas da cabeça, que têm uma contagem específica. Mas pode-se dizer que é um animal incomum, provavelmente exótico.    

O mais provável, diz o biólogo, é que a cobra tenha chegado a Balneário através do tráfico de animais. Não há criadores autorizados de naja no Brasil. Nesse caso, o proprietário pode ter perdido o animal ou deixá-lo fugir por algum motivo, como falta de condições financeiras para mantê-lo, por exemplo. No entanto, embora se trate de uma possibilidade remota, Fischer lembra que o animal poderia até ter vindo a bordo de um navio que atracou na região.

— Elas sobrevivem sem problema a uma viagem da África até aqui — diz.

No ano passado, uma suposta naja assustou moradores de Paranaguá, no Paraná, após ser descoberta em um palete dentro de um navio que veio do Egito. O animal conseguiu escapar. Especialistas que viram uma foto de um animal semelhante ao que apareceu no porto paranaense afirmaram que, na verdade, se tratava de uma caninana, espécie comum no Brasil. 


 
 

Siga Hora no Twitter

  • horasc

    horasc

    Hora de SCGiro Motorizado: conheça as equipes e os pilotos da temporada 2017 da Fórmula 1 https://t.co/FRc1jXa1kwhá 15 minutosRetweet
  • horasc

    horasc

    Hora de SCRodrigo Faraco: o primeiro grande desafio da Seleção sob o comando de Tite https://t.co/s6b8hFRmv9 https://t.co/vFKqjx7uDAhá 1 horaRetweet
Hora de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros