O que as cidades catarinenses precisam melhorar para se tornarem mais acolhedoras aos idosos - Geral - Hora de Santa Catarina

Versão mobile

 

Longevidade07/03/2017 | 17h06Atualizada em 07/03/2017 | 17h06

O que as cidades catarinenses precisam melhorar para se tornarem mais acolhedoras aos idosos

Saiba quais foram os pontos positivos e negativos das cidades de SC segundo o Índice de Desenvolvimento Urbano para Longevidade

O que as cidades catarinenses precisam melhorar para se tornarem mais acolhedoras aos idosos Marco Favero/Agencia RBS
Jorge Negri, 70 anos, mora em Florianópolis, a segunda melhor cidade do Brasil para se viver depois dos 60 Foto: Marco Favero / Agencia RBS

O Índice de Desenvolvimento Urbano para Longevidade (IDL), divulgado no último domingo, analisou 498 cidades brasileiras a partir de sete indicadores, para determinar quais são os melhores lugares para se viver após os 60 anos. 

Florianópolis ficou em segundo lugar no ranking entre os municípios com maior número de habitantes, mas outras 16 cidades catarinenses tiveram destaque na pesquisa. Saiba quais foram os pontos positivos e negativos de cada uma delas:

Fonte: Índice de Desenvolvimento Urbano para Longevidade, do Instituto de Longevidade Mongeral Aegon e da Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getulio Vargas

Leia também:

Florianópolis é a segunda melhor cidade para se viver depois dos 60 anos no Brasil

Em cada cinco consultas médicas agendadas, um paciente falta e gera prejuízo de R$ 13,4 milhões em SC

Poluição ambiental mata 1,7 milhão de crianças por ano, diz OMS


 

Siga Hora no Twitter

  • horasc

    horasc

    Hora de SCAvaí trabalha para explicar reajuste de preços para os associados https://t.co/4hXh6E9IdChá 45 minutosRetweet
  • horasc

    horasc

    Hora de SCParte da Avenida Gustavo Richard, em Florianópolis, será fechada aos domingos https://t.co/AqZ0gkRABhhá 1 horaRetweet
Hora de Santa Catarina
Busca