Plano de concessões do governo federal inclui BR-101 Sul e estudos para privatização da Casan - Geral - Hora de Santa Catarina

Versão mobile

Parcerias público-privadas07/03/2017 | 20h51Atualizada em 07/03/2017 | 20h51

Plano de concessões do governo federal inclui BR-101 Sul e estudos para privatização da Casan

Valor a ser investido nos 211 quilômetros da rodovia é de R$ 4 bilhões

Matheus Schuch/RBS Brasília e upiara boschi

matheus.schuch@gruporbs.com.br

A nova rodada de parcerias com a iniciativa privada  para infraestutura apresentada ontem pelo governo federal incluiu ações em Santa Catarina nas áreas de rodovias, energia elétrica, portos e abastecimento de água e saneamento básico. A segunda fase do Projeto Crescer traz renovações de contratos, novos leilões e concessões na área de infraestrutura em 55 projetos em todo o país, com previsão de R$ 45 bilhões em investimentos.

Governo anuncia leilão da BR-101 em SC em novo pacote de concessões

Uma das principais novidades do plano comandado pelo ministro Moreira Franco (PMDB) é a previsão de concessão da BR-101 na região Sul de Santa Catarina, entre as cidades de Paulo Lopes e São João do Sul. O valor estimado de investimentos é de R$ 4 bilhões, em um trecho de 211 quilômetros. A meta do governo é realizar consulta pública sobre o projeto da BR-101 ainda neste semestre, lançar o edital e promover o leilão no ano que vem. Até agora, não foram divulgados detalhes sobre a obra. O esboço inicial prevê aumento de capacidade e melhoria no nível de serviço da rodovia.

Na área de energia, o Estado participará dos leilões para implantação de linhas de transmissão e construção de subestações. Em todo o país, o setor terá concorrências para 35 novos lotes, totalizando 7.358 quilômetros de rede. A soma dos projetos é de R$ 12,8 bilhões.

O plano do governo ainda inclui melhorias em portos. Será proposta a prorrogação antecipada do contrato do Terminal Aeroportuário de Santa Catarina – TESC, em São Francisco do Sul. O plano é ampliar a parceria por mais 25 anos, mediante o aporte de novos investimentos. O montante é calculado em R$ 138 milhões.

O pacote também trouxe o esboço de um plano de desestatização do setor de água e saneamento — hoje tocado principalmente por companhias estatais estaduais. A catarinense Casan integra a lista de 14 empresas que vão passar por estudos de viabilidade sobre concessão à iniciativa privada. De acordo com o governo federal, já foram iniciados os procedimentos para a pré-qualificação de consultorias técnicas para a elaboração dos estudos¿ sobre a companhia de Santa Catarina.

Qualquer operação envolvendo a Casan depende de aval do governo estadual. Em fevereiro, o governador Raimundo Colombo (PSD) afirmou que não pretende privatizar a estatais até o fim de seu mandato. Secretário da Casa Civil, Nelson Serpa (PSD) reafirmou ontem a posição e disse que os estudos anunciados pelo governo estadual serão contratados pelo BNDES e servirão para definição de estratégias futuras.

— Entendemos que essa não é uma ação para término de governo, mas queremos que o próximo governante tenha todos os estudos prontos para tomar a melhor decisão estratégica, que não precisa ser necessariamente a privatização ou a concessão — afirmou Serpa.


 
 
 

Siga Hora no Twitter

  • horasc

    horasc

    Hora de SCNaufrágio deixa ao menos três mortos e 30 desaparecidos na Colômbia: https://t.co/BaNPePNdlk #colombia #naufragio https://t.co/XfAb47TqCuhá 7 horas Retweet
  • horasc

    horasc

    Hora de SCAdolescente passa pela primeira sessão para remover frase "eu sou ladrão e vacilão": https://t.co/mmTACI6MqD https://t.co/Xbp4FhUbu6há 8 horas Retweet
Hora de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros