Pílulas de Saber: medicamentos para o coração podem alterar o funcionamento do DNA - Geral - Hora de Santa Catarina

Versão mobile

Pesquisa03/07/2017 | 09h05Atualizada em 03/07/2017 | 11h02

Pílulas de Saber: medicamentos para o coração podem alterar o funcionamento do DNA

Descoberta pode tornar o tratamento mais eficiente

Pílulas de Saber: medicamentos para o coração podem alterar o funcionamento do DNA André Ávila/Agencia RBS
Foto: André Ávila / Agencia RBS
Carlos Rogério Tonussi
Carlos Rogério Tonussi

tonussi@farmaco.ufsc.br

Os bloqueadores beta (propranolol, atenolol, etc.) são comumente usados em todo o mundo para tratar uma variedade de doenças cardiovasculares como hipertensão, arritmias e insuficiência cardíaca. Os cientistas sabem há décadas que os medicamentos funcionam retardando a frequência cardíaca e reduzindo a força da contração do coração — diminuindo o trabalho realizado pelo músculo cardíaco. 

No entanto, novas pesquisas da Universidade de York, Canadá, mostraram que esses medicamentos também revertem uma série de alterações genéticas potencialmente prejudiciais associadas à doença cardíaca.

Restaurando o padrão

O código genético dentro do núcleo das células, o DNA, controla todas as funções das células do organismo. E para fazer isso, esse DNA envia mensagens utilizando uma outra molécula parecida com ele, que é chamada RNA.

Usando um método ultrarrápido de sequenciamento de RNA em um modelo experimental de insuficiência cardíaca, os pesquisadores identificaram os principais comandos genéticos executados pelo DNA das células do coração, em animais sofrendo de insuficiência cardíaca. Em seguida, eles exploraram o que aconteceu com esse padrão de expressão genética quando o tratamento com bloqueadores beta foi utilizado. 

O que os pesquisadores descobriram não só os surpreendeu, mas poderá ter implicações importantes para o tratamento das doenças cardíacas no futuro. Os bloqueadores beta revertem amplamente o padrão de expressão gênica observado na insuficiência cardíaca, trazendo-o de volta para o normal.

Isso pode significar que a reversão ou supressão da expressão desses genes por bloqueadores beta é, de alguma forma, protetora contra a insuficiência cardíaca. Essa descoberta é muito importante, pois poderá permitir que se façam medicamentos direcionados para esses genes, tornando o tratamento das doenças cardíacas muito mais eficiente.

Coração inflamado

Curiosamente, o estudo também descobriu que alguns genes relacionados com o funcionamento do sistema imunológico estavam desregulados na insuficiência cardíaca, apoiando pesquisas recentes que sugerem que o sistema imunológico e a inflamação estão envolvidos em doenças cardíacas.

Ataques cardíacos enfraquecem o coração, levando à insuficiência cardíaca. Milhares de pessoas são portadores de insuficiência cardíaca no mundo, e essa doença deverá aumentar à medida que mais e mais pessoas sofrem ataques cardíacos e sobrevivem graças à melhoria dos atendimentos de emergência, vivendo assim por mais tempo. 

O estudo foi publicado no jornal científico Nature Scientific Reports.

Leia mais dicas de saúde em Pílulas de Saber


 
 
 

Siga Hora no Twitter

  • horasc

    horasc

    Hora de SCMais de 37 mil crianças de SC precisam tomar a segunda dose da vacina contra a gripe https://t.co/t4o8zTE2wx #gripe… https://t.co/8N8derXvhBhá 1 horaRetweet
  • horasc

    horasc

    Hora de SCZagueiro do Figueirense, Ferreira diz que há um sentimento de angústia pela posição na tabela… https://t.co/XH9rO0JX7Khá 1 horaRetweet
Hora de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros