Empresa de Itajaí deverá construir trapiche do João Paulo, em Florianópolis  - Geral - Hora de Santa Catarina

Versão mobile

 

Pesca Artesanal03/08/2017 | 18h53Atualizada em 03/08/2017 | 18h56

Empresa de Itajaí deverá construir trapiche do João Paulo, em Florianópolis 

Construtora Concretil, mesma que fez o porto de Itajaí, foi a única que demonstrou interesse no edital 

Empresa de Itajaí deverá construir trapiche do João Paulo, em Florianópolis  Marco Favero/Agencia RBS
Sem trapiche, pescadores disputam espaço com aves em meio a lama poluída da praia do João Paulo Foto: Marco Favero / Agencia RBS

Após três meses de angústia, os pescadores do João Paulo, em Florianópolis, podem respirar um pouco mais aliviados: o edital de licitação para as obras do trapiche do bairro não foi deserto, como ocorreu em junho. A empresa Concretil, de Itajaí e que construiu o porto da cidade, foi a única que demonstrou interesse e deve ser a construtora que irá tocar as obras aguardadas há duas décadas pelos profissionais.

O próximo passo agora é a análise da documentação. A abertura dos envelopes foi acompanhada na Prefeitura pelos pescadores da segunda maior colônia da Ilha, que comemoraram.

— É uma empresa forte. Acreditamos que não vai ter problemas, mas a gente só acredita depois que começarem as obras. Foi mais um passo conquistado — destacou o presidente da colônia, Silvani Ferreira.

No dia 20 de junho, nenhuma empresa demonstrou interesse no edital, e a Prefeitura recorreu em Brasília para estender o prazo final e não perder os R$ 2,3 milhões garantidos pela Caixa Econômica Federal para o empreendimento.

O edital de licitação na modalidade concorrência foi do tipo menor preço, para contratação de empresa especializada em executar a primeira etapa (fase 1) do trapiche. A estrutura vai possibilitar que os pescadores atraquem os barcos no mar sem risco deles encalharem na lama e tirar com mais facilidade das embarcações os produtos da pesca. Ao todo, 87 pescadores serão beneficiados.

Colônia de pescadores do João Paulo é a segunda maior de Florianópolis, atrás apenas da Barra da Lagoa Foto: Marco Favero / Agencia RBS

Essa etapa está orçada em R$ 2,9 milhões (sendo que R$ 2,3 milhões do Governo Federal) e o restante, recursos próprios da Prefeitura. As licenças da Secretaria de Patrimônio da União (SPU), Capitania dos Portos e Fundação do Meio Ambiente (Fatma) já foram obtidas, bem como aprovação pelo Instituto de Planejamento Urbano de Florianópolis (Ipuf). 

Está prevista a execução de um píer de concreto com 210 metros de extensão, 3,75 metros de largura e até dois metros de profundidade, dependendo da maré. Além da instalação de uma "linha flutuante", um equipamento que vai acompanhar o movimento da maré, que será fixado ao trapiche, sendo que tal estrutura vai facilitar o embarque e desembarque de pessoas e a carga e descarga dos produtos relativos à pesca.

 O trapiche será construído na altura do final da Servidão Nonô, próximo da Associação dos Pescadores do João Paulo e dos ranchos de pescadores locais.

Foto: Projeto / Prefeitura de Florianópolis


 

Siga Hora no Twitter

  • horasc

    horasc

    Hora de SCLíder da quadrilha mais procurada por assaltos a bancos e lotéricas no RS é preso em Biguaçu https://t.co/Nu0tXDYD3khá 16 minutosRetweet
  • horasc

    horasc

    Hora de SCLíder da quadrilha mais procurada por assaltos a bancos e lotéricas no RS é preso em Biguaçu. https://t.co/SftgEskyBAhá 27 minutosRetweet
Hora de Santa Catarina
Busca