Bahrein condena opositor a cinco anos de prisão por mensagens no Twitter - Geral - Hora de Santa Catarina

Versão mobile

 

Dubai21/02/2018 | 07h59

Bahrein condena opositor a cinco anos de prisão por mensagens no Twitter

AFP
AFP

O opositor bareinita Nabil Rajab foi condenado a cinco anos de prisão por mensagens no Twitter que denunciavam a intervenção da coalizão militar árabe no Iêmen e casos de tortura em uma prisão no Bahrein, informaram duas ONGs.

Rajab é uma das personalidades das manifestações de 2011 que protestaram contra o regime da dinastia sunita, que dirige este país do Golfo com uma população majoritariamente xiita.

O ativista foi condenado em julho do ano passado a dois anos de prisão por "propagação de boatos e notícias falsas" durante entrevistas a canais de TV nas quais criticou o governo.

A condenação foi anunciada pela Alta Corte Criminal do Bharein, informaram as ONGs Centro pelos Direitos Humanos do Bahrein (BCHR) e o Instituto do Bahrein pelos Direitos e Democracia (BIRD).

Nabil Rajab foi condenado por tuítes nos quais criticava a Arábia Saudita e seus aliados, entre eles o Bahrein, por seu papel na guerra que afeta o Iêmen desde 2015. Também foi acusado de ter divulgado críticas sobre casos de tortura na prisão de Jaw, no Bahrein.

"Meu pai foi condenado a cinco anos de prisão e sua primeira reação foi sorrir", escreveu no Twitter Adam Rajab, filho do condenado.

Várias organizações manifestaram preocupação com a saúde de Nabil Rajab, que foi hospitalizado diversas vezes durante a detenção.

O pequeno reino do Bahrein, onde está a Quinta Frota dos Estados Unidos no Golfo, é governado por uma dinastia sunita e foi abalado por manifestações esporádicas desde a repressão em 2011 dos grandes protestos da maioria xiita, que exige reformas.

As autoridades negam qualquer discriminação em relação aos xiitas e acusam o Irã de tentar "desestabilizar" o país, o que Teerã nega.

* AFP

 
Hora de Santa Catarina
Busca