Estudantes da UFSC denunciam más condições da moradia estudantil  - Geral - Hora de Santa Catarina

Versão mobile

 

Ensino Superior12/04/2018 | 18h14Atualizada em 12/04/2018 | 19h50

Estudantes da UFSC denunciam más condições da moradia estudantil 

Cerca de 200 alunos de baixa renda vivem no local, em Florianópolis, que está com infiltrações, infestação de ratos e banheiros e cozinha sem manutenção

Estudantes da UFSC denunciam más condições da moradia estudantil  Felipe Carneiro/Diário Catarinense
Foto: Felipe Carneiro / Diário Catarinense

Infiltrações, rachaduras nas paredes, reboco despencando, goteiras, cozinha em péssimas condições e infestação de ratos. Esta é a atual situação da moradia estudantil da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), onde vivem quase 200 estudantes de baixa renda. O caso foi denunciado recentemente pelos alunos, que pedem providências por parte da reitoria.  

 FLORIANÓPOLIS, SC, BRASIL, 12-04-2018 - Moradia Estudantil da UFSC está em situação preocupante. Diversos problemas ocorrem no local, tais como ratos, fiação elétrica comprometida, máquinas de lavar roupa sem funcionamento, pisso solto e quebradiço, quartos sem espaço, entre outros.
Foto: Felipe Carneiro / Diário Catarinense

Vanessa Canei, 28 anos, aluna de Relações Internacionais e membro do conselho dos moradores, lista uma série de problemas enfrentados pelos alunos.

— Tem infiltração nas paredes, banheiros quebrados, das 14 máquinas de lavar roupa, apenas sete estão funcionando, as quatro máquinas de secar não funcionam, sem falar na infestação de ratos — conta.

Segundo ela, a situação mais precária é dentro da casa onde funciona o Programa de Apoio Emergencial de Permanência (Paep), um alojamento provisório para os calouros da UFSC. Atualmente, o local possui cerca de 30 alunos, sendo seis em cada quarto. Na casa há apenas uma cozinha. As goteiras, provocadas por infiltrações, atingiram o fogão e o micro-ondas, que estão em péssimas condições.

Solução emergencial

Vanessa comenta que durante esta semana alguns problemas foram resolvidos de forma emergencial, após meses de reivindicação. As goteiras, o encanamento do banheiro masculino, que formava poças de água, e os chuveiros da casa foram consertados. O local também foi dedetizado no início da semana, no entanto, enquanto a reportagem da Hora estava no local, nesta quinta-feira, 12, ainda havia roedores ao redor da moradia.

O que mais falta é a manutenção básica dentro da casa. A fiação elétrica dos chuveiros está exposta, a maioria dos vasos sanitários está sem tampa, sete máquinas de lavar roupa estão quebradas, sem falar nos entulhos que ficam na área externa do prédio. O material fazia parte de uma reforma que começou em 2016 e nunca foi concluída.

Aya Sophia Andrade da Silva, 23 anos, caloura de Antropologia, está há um mês na moradia estudantil, onde divide um quarto pequeno com mais quatro pessoas.

— É muita gente vivendo no mesmo espaço e um espaço insalubre, cheio de problemas estruturais. Mas eu não tenho para onde ir. O que eles oferecem para o estudante é isso e a gente tem que aceitar — diz.

 FLORIANÓPOLIS, SC, BRASIL, 12-04-2018 - Moradia Estudantil da UFSC está em situação preocupante. Diversos problemas ocorrem no local, tais como ratos, fiação elétrica comprometida, máquinas de lavar roupa sem funcionamento, pisso solto e quebradiço, quartos sem espaço, entre outros.
Foto: Felipe Carneiro / Diário Catarinense

Caio Eanes Alves, 23 anos, também divide um quarto com mais cinco pessoas.

— Quando eu cheguei, há três semanas, o quarto estava cheio e têm outros quartos vazios, que poderiam distribuir melhor essa galera. Mas eles nem colocam mais gente para cá, pessoas que precisam e esses quartos ficam fechados.

Este é outro problema da moradia estudantil, a falta de vagas. Segundo Vanessa, os estudantes reivindicam a ampliação de vagas e do espaço da moradia.  

— A moradia estudantil não é prioridade, além de ter poucas vagas, o que seria facilmente resolvido com gestão, ela é deixada de escanteio e, por isso, está do jeito que está, infestado de ratos. É um sentimento de revolta permanente.

Obras emergenciais

Na tarde desta quinta-feira, o pró-reitor de Assuntos Estudantis da UFSC, Pedro Manique Barreto, fez uma vistoria na moradia estudantil. Segundo ele, várias pequenas obras serão feitas para amenizar a situação no local, como a colocação de tampas nos vasos sanitários, dobradiças nas portas, novos cadeados, corte de grama, entre outras obras emergenciais.

Manique admite que o prédio onde funciona o alojamento provisório é antigo e com problemas estruturais, mas diz que a situação vem sendo acompanhada desde fevereiro deste ano.

— A dedetização é feita periodicamente, a manutenção de micro-ondas, geladeiras e fogões, às vezes é complicado para a universidade efetuar a compra, mas estamos fazendo o levantamento de eletros para fazer a troca. Estamos monitorando e fazendo o possível para que a coisa não chegasse ao ponto de ter um micro-ondas naquele estado.

Segundo Manique, em 2016, uma empresa foi contratada para fazer uma reforma no prédio da moradia estudantil, onde há 167 vagas. Na época, a empresa suspendeu a obra e deixou parte do material na parte externa do prédio, mas a UFSC não pode retirar porque pertence à empresa.

Sobre a ampliação de vagas, Manique afirma que a universidade não tem condições de aumentar este número. Para este ano, a UFSC tem um orçamento de R$ 12 milhões para todos os campis, sendo que este é o mesmo valor para construir um prédio com 200 vagas para a moradia estudantil.

— Nós deixaríamos o restante da universidade sem recursos sequer para fazer uma troca de telhas. Isso é o que a gente tem hoje. O MEC tem tratado as universidades federais a pão e água no sentido de investimento. A universidade precisa achar outros mecanismos, que não seja recurso público, para conseguir fazer algo.

O professor Ubaldo Balthazar, o novo reitor da UFSC, eleito na quarta-feira, 11, admitiu, em seu discurso após o resultado da eleição, que a moradia estudantil está em “situação deplorável”.

— Não posso prometer nada agora, mas nós vamos buscar uma solução — disse.

 FLORIANÓPOLIS, SC, BRASIL, 12-04-2018 - Moradia Estudantil da UFSC está em situação preocupante. Diversos problemas ocorrem no local, tais como ratos, fiação elétrica comprometida, máquinas de lavar roupa sem funcionamento, pisso solto e quebradiço, quartos sem espaço, entre outros.
Foto: Felipe Carneiro / Diário Catarinense
 FLORIANÓPOLIS, SC, BRASIL, 12-04-2018 - Moradia Estudantil da UFSC está em situação preocupante. Diversos problemas ocorrem no local, tais como ratos, fiação elétrica comprometida, máquinas de lavar roupa sem funcionamento, pisso solto e quebradiço, quartos sem espaço, entre outros.
Foto: Felipe Carneiro / Diário Catarinense
 FLORIANÓPOLIS, SC, BRASIL, 12-04-2018 - Moradia Estudantil da UFSC está em situação preocupante. Diversos problemas ocorrem no local, tais como ratos, fiação elétrica comprometida, máquinas de lavar roupa sem funcionamento, pisso solto e quebradiço, quartos sem espaço, entre outros.
Foto: Felipe Carneiro / Diário Catarinense

Leia mais notícias da Grande Florianópolis

 

Siga Hora no Twitter

  • horasc

    horasc

    Hora de SCFalando de Sexo: ter um fetiche ou uma fantasia é saudável? https://t.co/RH2dxqAe6khá 6 horas Retweet
  • horasc

    horasc

    Hora de SCPaula Wagner: eu ouvi hambúrguer? https://t.co/qCv3GcXChqhá 7 horas Retweet
Hora de Santa Catarina
Busca