Protesto na Tailândia pede realização de eleições - Geral - Hora de Santa Catarina

Versão mobile

 

Bangcoc22/05/2018 | 00h46

Protesto na Tailândia pede realização de eleições

AFP
AFP

Centenas de manifestantes tentaram caminhar nesta terça-feira até a sede do governo em Bangcoc para exigir a realização de eleições adiadas reiteradamente pela junta militar no poder desde o golpe de Estado, há quatro anos.

Ao menos 200 opositores passaram a noite no campus da Universidade Thammasat, um local emblemático dos protestos estudantis, após romperem o cadeado do portão do campus.

Na manhã desta terça-feira, um importante dispositivo policial impediu o avanço do protesto em direção à sede do governo.

Enquanto negociavam com a polícia, alguns manifestantes exibiam leques onde aparecia o rosto do chefe da junta militar, general Prayut Chan O Cha, com um nariz de Pinóquio, em referência aos contínuos adiamentos das eleições.

"Queremos eleições. Nada nos garante que ocorrerão em fevereiro de 2019", disse um dos manifestantes, Anuthee Dejthevaporn, entrevistado pela AFP.

O protesto contou com a adesão de muitos partidários dos Camisas Vermelhas, movimento popular de apoio à família Shinawatra, que os militares expulsaram do poder com dois golpes de Estado, em 2006 e em 2014.

Os ex-primeiros-ministros Yingluck e Thaksin Shinawatra vivem no exílio para evitar os processos abertos contra eles, que consideram políticos.

Seu partido, o Pheu Thai, venceu sistematicamente todas as eleições nacionais, o que segundo analistas impede que os militares convoquem uma nova votação, o que significaria entregar o poder à oposição.

* AFP

 
Hora de Santa Catarina
Busca