"Me disseram que parecia cena de filme", conta moradora sobre chacina em Canasvieiras - Geral - Hora de Santa Catarina

Vers?o mobile

 
 

Crime em Florianópolis06/07/2018 | 12h18Atualizada em 06/07/2018 | 12h42

"Me disseram que parecia cena de filme", conta moradora sobre chacina em Canasvieiras

Das cinco vítimas, quatro eram da mesma família

"Me disseram que parecia cena de filme", conta moradora sobre chacina em Canasvieiras Felipe Carneiro/Diário Catarinense
Foto: Felipe Carneiro / Diário Catarinense

"Foi uma cena de filme". O relato de um perito da Polícia Civil a uma vizinha do apart-hotel onde cinco pessoas foram assassinadas, em Canasvieiras, Florianópolis, indica a barbaridade do crime. Entre 16h e meia-noite desta quinta-feira, 5, quatro homens e uma mulher foram mortos por asfixia. Os criminosos recolheram as imagens das câmeras de segurança, fugiram e deixaram poucas pistas para trás.

As vítimas foram encontradas amarradas, de barriga para baixo, e identificadas como Paulo Gaspar Lemos, 78 anos, Leandro Gaspar Lemos, 44,  Paulo Gaspar Lemos Junior, 51, Kátya Gaspar Lemos, 50, e Ricardo Lora, 39. No apart-hotel havia ainda uma funcionária, mas ela conseguiu fugir e acionar a polícia, que chegou ao local por volta da 1h desta sexta-feira.

Das cinco vítimas, quatro eram da mesma família. Com exceção de Leandro e Ricardo, todos moravam no apart-hotel. O pai, Paulo, ficou viúvo no ano passado, quando a esposa, Cecília, morreu em decorrência de um câncer. Um dos filhos, o Junior, tinha deficiência intelectual. "Mataram até o coitadinho do Junior", lamentou um vizinho à reportagem.

Leia mais:
Cinco pessoas são mortas em residencial de Florianópolis
"Indícios de vingança pontual", diz comandante-geral da PM sobre chacina
Chacina em Canasvieiras rompe queda de crimes no Norte da Ilha

Kátya, filha de Paulo, era muito querida no bairro. Conforme relatos dos vizinhos, às quartas-feiras ela colaborava em um centro espírita, e todos os dias passeava com os dois cachorros da raça shitzu. Sempre parava para conversar com a vizinhança. Quando a polícia chegou ao local do crime, não encontrou os cachorros. O cabeleireiro e amigo de Kátya e a dona do petshop onde ela costumava deixar os animais também não sabem do paradeiro deles. A suspeita é de que tenham sido levados pelos criminosos.

— Fiquei apavorada quando vi as viaturas de madrugada, até que um dos agentes me disse que lá dentro parecia cena de um filme. Eles eram super tranquilos, a Kátya mesmo era super querida — conta uma vizinha que, assim como todos os outros, pediu para não ser identificada.

Ela conta que tinha ficado de levar R$ 45 para Kátya, em pagamento de um bichinho feito de crochê, um dos hobbies da vítima. O combinado era de se encontrarem às 17h30min de quinta no apart-hotel, mas, como esqueceu de sacar o dinheiro, não foi.

— Dei sorte, porque era pra ser bem na hora em que eles (criminosos) estavam lá dentro.

 FLORIANÓPOLIS, SC, BRASIL, 06-07-2018 - Quatro membros de uma mesma família e mais um amigo foram mortos no Venice Beach Hotel, em Canasvieiras. Aparentemente o crime foi cometido por motivos de dívidas. A principal vítima é o empresário Paulo Gaspar Lemos. Seus 3 filhos também foram assassinados, além do sócio de um dos filhos.
Peritos deixaram luvas descartáveis para trás, na entrada do apart-hotelFoto: Felipe Carneiro / Diário Catarinense

Empresários da noite

Outras duas vítimas da chacina eram empresários e trabalhavam com casas de shows. Leandro Gaspar Lemos, conhecido como Magal, e Ricardo Lora, conhecido como Alemão, eram sócios da casa noturna Arena Spazzio, que fica na Vargem Grande, às margens da rodovia SC-401.

Em nome de Leandro e de seus familiares estão as empresas LGL Produções Artísticas e Comercialização de Produtos Fonográficos Ltda., Grupo Venice (dono do antigo Venice Hall, que depois virou Arena Spazzio), o Venice Beach Apart House e a GPV Corretora de Seguros Ltda.

Negócios e processos em São Paulo

A principal linha de investigação para a motivação da chacina é acerto de contas. "Alguma dívida, traição ou motivação muito específica. Havia pichações na parede de um quarto da facção criminosa de São Paulo e alguns dizeres fazendo referência a não roubar mais, não enrolar mais, dando a ideia de dívida ou algo parecido", indicou o comandante-geral da PM, coronel Araújo Gomes.

Paulo Gaspar Lemos, de 78 anos, era dono de concessionárias de veículos em São Paulo. Tinha muitos negócios na capital paulista e, segundo os vizinhos, viajava para lá todas as semanas. "Saía terça de manhã e voltava de noite ou na quarta-feira", relata o mecânico de confiança da família.

"Mecânico de confiança" porque era ele quem cuidava da coleção de carros de Paulo. Somente no apart-hotel havia uma dúzia de veículos, entre eles um Mustang 1978 e um Maverick. Em entrevista concedida ao jornal Folha de Jurerê, em 2005, Paulo contou que tinha uma coleção com 92 carros antigos e 38 lambretas.

 FLORIANÓPOLIS, SC, BRASIL, 06-07-2018 - Quatro membros de uma mesma família e mais um amigo foram mortos no Venice Beach Hotel, em Canasvieiras. Aparentemente o crime foi cometido por motivos de dívidas. A principal vítima é o empresário Paulo Gaspar Lemos. Seus 3 filhos também foram assassinados, além do sócio de um dos filhos.
Janelas de dois apartamentos ficaram abertas e as luzes acesasFoto: Felipe Carneiro / Diário Catarinense

Na mesma reportagem, Paulo contou que era natural de Rio Grande do Norte e que morou muito tempo em São Paulo, mas se mudou em 2002 para Florianópolis por causa da violência na capital paulista.

Em São Paulo, a família Lemos é alvo de diversos processos na Justiça, principalmente na esfera trabalhista. Há pouco tempo, inclusive, tiveram uma residência em Jurerê tomada pela Justiça para quitar uma dívida. Na polícia, Paulo Gaspar Lemos tem passagem por calúnia, difamação e injúria, e Leandro Gaspar Lemos tem passagem por apropriação indébita.

Leia mais notícias da Grande Florianópolis

 

Siga Hora no Twitter

  • horasc

    horasc

    Hora de SCFigueirense aguarda por 'reforços' após brecha no calendário da Série B  https://t.co/lmPRPlfVMDhá 51 minutosRetweet
  • horasc

    horasc

    Hora de SCNorte-americanos vencem o Ironman Brasil 2019, em Florianópolis  https://t.co/e1TVv5ewbLhá 51 minutosRetweet
Hora de Santa Catarina
Busca