Otan lembra Trump do imperativo da defesa coletiva - Geral - Hora de Santa Catarina

Versão mobile

 

Bruxelas20/07/2018 | 07h53

Otan lembra Trump do imperativo da defesa coletiva

AFP
AFP

Um funcionário de alto escalão da Otan lembrou, nesta sexta-feira (20), o compromisso dos Estados Unidos com o princípio de defesa comum em caso de agressão a um dos membros da Aliança, depois que Donald Trump pôs isso em xeque em relação a Montenegro.

"A cláusula de defesa coletiva da Otan, o artigo 5, é incondicional e está blindado. Isso significa que um ataque contra um deles é um ataque contra todos", afirmou esse integrante da Aliança, respondendo a uma pergunta da AFP.

"O presidente Trump disse claramente que os Estados Unidos estão totalmente comprometidos com a Otan e que nossa aliança é forte", durante a cúpula de Bruxelas, acrescentou a mesma fonte, que pediu para não ser identificada.

O presidente americano pareceu pôr esse princípio de defesa comum em dúvida, durante entrevista na terça-feira ao canal Fox News.

"Se, por exemplo, atacam Montenegro, por que meu filho deveria ir a Montenegro para defendê-los?", perguntou o jornalista.

"Entendo o que você está dizendo. Eu também fiz a mesma pergunta", respondeu Trump.

Montenegro entrou na Otan em junho de 2017.

Na quinta-feira, esse país dos Bálcãs lembrou o presidente americano de sua contribuição para "a paz e a estabilidade", não apenas no continente europeu, como em todo mundo.

Até hoje, o artigo 5 foi invocado uma única vez: para apoiar os Estados Unidos depois dos atentados de 11 de setembro de 2001.

"Isso levou à mais importante operação já organizada pela Otan no Afeganistão, onde centenas de milhares de soldados europeus, incluindo os de Montenegro, e também canadenses, se somaram às tropas americanas, e mais de mil pagaram com o preço mais alto", lembrou esse responsável da Otan ouvido pela AFP.

* AFP

 
Hora de Santa Catarina
Busca