Cemitérios de Florianópolis começam a ser preparados para o Finados - Geral - Hora de Santa Catarina

Vers?o mobile

 
 

Dia dos Mortos24/10/2018 | 06h55Atualizada em 24/10/2018 | 10h22

Cemitérios de Florianópolis começam a ser preparados para o Finados

Movimento já aumentou. Muita gente quer deixar os túmulos arrumados para prestar homenagens aos entes queridos

Cemitérios de Florianópolis começam a ser preparados para o Finados Diorgenes Pandini/Diário Catarinense
Cemitério São Cristóvão Foto: Diorgenes Pandini / Diário Catarinense

 A menos de duas semanas para o Dia de Finados, os cemitérios da Capital já estão se preparando para receber os visitantes durante a data. Muito trabalho ainda precisa ser feito, desde a retirada do mato e entulhos das áreas comuns até a limpeza dos túmulos.

No cemitério São Francisco de Assis, no bairro Itacorubi, um dos maiores do Estado, uma força-tarefa já começou para deixar o local em ordem. De acordo com Alexandre Magno, chefe da divisão de cemitérios, são 98 mil metros quadrados, 36 mil sepulturas e mais 730 gavetas públicas. No total, o cemitério possui 68 mil pessoas sepultadas e para o Dia de Finados são esperadas que pelo menos 87 mil pessoas passem pelo local.

Normalmente, por dia é recolhida uma tonelada de lixo, mas na época de Finados esse número passa para cinco toneladas. Por isso, a Autarquia de Melhoramentos da Capital (Comcap) colocou uma caçamba para entulhos, além de ter dobrado o número de latões que servem como lixeira de 20 para 40. Funcionários da autarquia também auxiliam na limpeza do local.

Mesmo assim, é visível a quantidade de lixo jogado ao lado de túmulos, sem falar naqueles que estão abandonados e depredados. Chega a ter túmulos abertos. Magno comenta que a prefeitura não tem autorização para mexer nas sepulturas e não dá conta de limpar todo o lixo acumulado por causa do número de funcionários. Ao todo, são 15 trabalhadores desde o operacional ao administrativo.

— Pedimos a colaboração das pessoas para que nos ajude a manter o cemitério limpo. Estamos trabalhando desde o ano passado para melhorar o local, fizemos várias obras, como a revitalização da entrada e do espaço das missas, pintamos a sede administrativa, colocamos bancos para as pessoas, cuidamos para que não chegasse ao estado que estava o cemitério no ano passado — diz Magno.

Para que não falte água, como ocorreu em 2017, foi instalada uma caixa d’água com capacidade para 10 mil litros. Além da água da rede, o cemitério possui agora 20 mil litros de água armazenada. Ainda falta a instalação de tomadas e pontos de iluminação para o uso da população, pequenas podas e retirada de entulhos.

Durante o feriado, um veículo da Associação Florianopolitana de Deficientes Físicos (Aflodef) estará disponível para cadeiras e idosos.

Conheça a história escondida do cemitério São Francisco de Assis 

Falta de espaço

No total, Florianópolis possui 13 cemitérios, mas o maior e mais procurado é o do Itacocubi, que sofre com a superlotação. Atualmente não há vagas no local, a não ser quem já tinha comprado um jazigo. Também há espaços que a prefeitura não sabe se há dono ou não, por isso, o município está fazendo o recadastro das sepulturas.

Nas gavetas públicas (no total são 730), a administração do cemitério está pedindo que os responsáveis por seus entes procurem a administração. Segundo Magno, por decreto municipal, o morto tem direito a permanecer no local por quatro anos. Depois deste prazo, os familiares precisam retirar os restos para liberar espaço.

 FLORIANOPOLIS, SC, BRASIL, 22.10.2018: Preparativos para o Dia dos Finados no Cemitério São Francisco de Assis. (Foto: Diorgenes Pandini/Diario Catarinense)Indexador: Diorgenes Pandini
Apesar dos mutirões, ainda é possível encontrar lixo e entulhoFoto: Diorgenes Pandini / Diário Catarinense

Cemitério São Cristóvão

No cemitério São Cristóvão, no bairro Capoeiras, região continental de Florianópolis, os trabalhos começaram no início do mês de outubro. Segundo Alexandre Vieira, que trabalha na administração do local, são apenas seis funcionários para limpar, cortar o mato e retirar os entulhos. Equipes da Comcap devem ajudar na retirada do lixo nos próximos dias. No total, o cemitério possui 22 mil metros quadrados, com cinco mil sepulturas e quase 25 mil sepultados.

— Começamos os trabalhos mais cedo para dar conta da limpeza. Disponibilizamos água para os visitantes que já começaram a limpar os túmulos.

 FLORIANOPOLIS, SC, BRASIL, 22.10.2018: Preparativos para o Dia dos Finados no Cemitério São Francisco. (Foto: Diorgenes Pandini/Diario Catarinense)Indexador: Diorgenes Pandini
Parentes se antecipam na limpeza dos jazigosFoto: Diorgenes Pandini / Diário Catarinense

A intenção também é pintar os muros internos do cemitério, mas isso ainda não está confirmado. Vieira chama a atenção para os vasos de flores. Segundo ele, mesmo com a divulgação e orientação sobre o mosquito Aedes aegypti, muita gente ainda mantem potes que acumulam água.

— Não se deve usar argila, vaso sem fundo aberto, às vezes o pessoal acha que só colocando areia já está bom, mas não. O certo é usar vasos com o fundo cortado para a escoar a água e pedriscos — orienta.

De acordo com a assessoria de comunicação da prefeitura, nos outros cemitérios do município — no total são 13 — a limpeza já foi realizada para receber os visitantes durante o feriado.

Visitas

As visitas de familiares para limpar e arrumar os jazigos de seus entes queridos também já começou e deve aumentar ainda mais na próxima semana, véspera de feriado. O autônomo Nazareno Márcio de Oliveira, 54 anos, costuma visitar os túmulos dos familiares nas datas de aniversário deles e de falecimento. No Dia de Finados não é adepto às visitas, mas não deixa de cuidar com todo o carinho das sepulturas dos avós, dos pais e uma tia que estão no cemitério São Cristóvão.

 FLORIANOPOLIS, SC, BRASIL, 22.10.2018: Preparativos para o Dia dos Finados no Cemitério São Francisco. (Foto: Diorgenes Pandini/Diario Catarinense)Indexador: Diorgenes Pandini
Nazareno Márcio de OliveiraFoto: Diorgenes Pandini / Diário Catarinense

— É difícil pra gente, eu não gosto muito de vir, mas como a minha tia fazia esse serviço para a toda família e ela faleceu em 2015, desde então eu e minha irmã começamos a vir para não deixar abandonado. Tentamos deixar menos triste.

Dona Lindomar Cravo, 76, também visita com frequência a mãe e a irmã sepultadas no bairro Capoeiras. Nesta época de Finados, ela já se antecipou e limpou os túmulos na segunda-feira. As flores virão na próxima semana.

— É bom a gente vir cuidar, ao menos não fica jogado, e já prestamos uma homenagem.

Linete da Rosa Thomaz, 54, perdeu o marido há pouco tempo, em janeiro desde ano, e no ano passado a mãe deixou a família. A saudade ainda é grande e ela faz questão de cuidar dos túmulos, assim como faz com o do pai e dois irmãos, no cemitério do Itacorubi. Ela foi acompanhada de mais duas irmãs e um cunhado, que também tem familiares sepultados.

— Infelizmente é aqui que a gente fica. É triste, mas cada um tem a sua hora.

O cunhado Pedro Bilck, 54, conta que o cemitério está mais conservado do que em anos anteriores. Ele costuma visitar os parentes que já se foram diversas vezes ao ano, e na época de Finados não poderia ser diferente.

— Não dá para deixar em cima da hora, sempre viemos cuidar, limpar antes, até porque tem muito movimento na próxima semana e no dia mesmo é mais para homenagear — diz.

 FLORIANOPOLIS, SC, BRASIL, 22.10.2018: Preparativos para o Dia dos Finados no Cemitério São Francisco de Assis. (Foto: Diorgenes Pandini/Diario Catarinense)Indexador: Diorgenes Pandini
Pedro BilckFoto: Diorgenes Pandini / Diário Catarinense

Horários de funcionamento dos cemitérios da Capital:

— Cemitério São Francisco de Assis, no Itacorubi: aberto todos os dias, inclusive no Dia de Finados, das 8h às 17h.

— São Cristóvão, em Capoeiras: aberto todos os dias das 8h às 17h. No Dia de Finados será das 7h30min às 18h.

— Ingleses: aberto todos os dias das 7h às 17h. No Dia de Finados ficará aberto até às 18h.

— Campeche: até o Dia de Finados estará aberto todos os dias das 7h às 19h.

— Pântano do Sul: aberto todos os dias das 7h às 17h. No Dia de Finados ficará aberto até às 20h.

— Armação: aberto todos os dias das 7h às 17h. No Dia de Finados ficará aberto até às 20h.

— Ribeirão da Ilha: aberto todos os dias das 7h às 17s. No Dia de Finados ficará aberto até às 19h.

— Lagoa da Conceição: aberto todos os dias das 8h às 18h. Para Finados ficará aberto no dia 1º de novembro das 8h às 24h, e no dia 2 das 7h às 18h.

— Barra da Lagoa: aberto todos os dias, inclusive no Dia de Finados, das 8h às 17h.

— Rio Vermelho: aberto todos os dias das 7h às 18h. No Dia de Finados ficará aberto até às 20h.

— Canasvieiras: aberto todos os dias das 7h às 17h. No Dia de Finados ficará aberto até às 18h.

— Ratones: aberto todos os dias das 7h às 11h e das 13h às 17h. No Dia de Finados ficará aberto até às 19h.

— Santo Antônio de Lisboa: aberto todos os dias das 7h às 17h. No Dia de Finados ficará aberto até às 18h.

 Acompanhe outras notícias da Grande Florianópolis 

 

Siga Hora no Twitter

  • horasc

    horasc

    Hora de SCIgor Amorelli estreia no ano com defesa do título no Ironman 70.3 https://t.co/SVruKHpIbrhá 1 horaRetweet
  • horasc

    horasc

    Hora de SCNota melhora, mas Aeroporto de Florianópolis mantém pior avaliação entre passageiros https://t.co/wRY2h8kaaehá 1 horaRetweet
Hora de Santa Catarina
Busca