Santa Catarina deve criar 7,5 mil vagas de emprego para a temporada de verão - Geral - Hora de Santa Catarina

Vers?o mobile

 
 

Mercado de trabalho26/10/2018 | 16h20Atualizada em 26/10/2018 | 16h20

Santa Catarina deve criar 7,5 mil vagas de emprego para a temporada de verão

Pesquisa da Fecomércio estima abertura de 2 mil vagas no comércio e mais 5,5 mil no setor de serviços

Santa Catarina deve criar 7,5 mil vagas de emprego para a temporada de verão Leo Munhoz/Diário Catarinense
Foto: Leo Munhoz / Diário Catarinense

A temporada de verão 2018/2019 deve criar 7,5 mil vagas de empregos temporários em Santa Catarina. A estimativa é da pesquisa feita pela Fecomércio, divulgada nesta sexta-feira (26). Os dados mostram que a previsão é de abertura de 2 mil vagas no setor de comércio e outras 5,5 mil no de serviços para atender as demandas do Natal e do verão.

Os números se aproximam dos da temporada 2017/2018, quando foram criadas 6,5 mil vagas, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho. Na análise do presidente da Fecomércio, Bruno Breithaupt, o cenário vem se desenhando mais estável e com cautela por parte dos empresários na hora de contratar.

Supervisora de vendas de uma loja de artigos esportivos e vestuário de Florianópolis, Eliana Fontenelle concorda com este cenário. Segundo ela, ainda é preciso observar como o mercado vai reagir, principalmente após o resultado das eleições, mas acredita que as vendas devem aumentar neste ano, o que garante a contratação de novos funcionários para a temporada. 

— Todos os anos a nossa empresa contrata temporário. Geralmente iniciamos as contratações em 5 de dezembro para o período das vendas de Natal. O número de vagas ainda vai depender de como vai reagir o mercado, mas acreditamos em seis vagas na nossa loja em Florianópolis e 24 em Balneário Camboriú (Litoral Norte catarinense), onde a demanda é maior — conta.

A empresária Sandra Leonardi, que possui lojas de surfe e skate em diversos shoppings da Grande Florianópolis, está mais otimista em relação às vendas e, consequentemente, às contratações temporárias para este ano, que devem chegar a 20% de aumento. Diferente da temporada passada, quando, com o movimento mais fraco, não foram abertas novas vagas. 

— Neste ano vamos contratar para o Natal e isso deve perdurar para o verão, porque a expectativa é que o turista venha para Santa Catarina. Então vamos ter funcionários por mais tempo e, se tudo der certo, com a expectativa do aumento de vendas, pretendemos efetivar esse pessoal — diz.

As contratações temporárias também são importantes porque há a possibilidade de efetivação desse trabalhador. Segundo o levantamento da Fecomércio, 76,4% dos empresários entrevistados disseram que existe a possibilidade de o colaborador ser contratado definitivamente pela empresa. Por outro lado, para 14,6% essa possibilidade não existe e 9% não souberam ou não responderam.

No caso da loja onde Eliane é supervisora, na temporada anterior, houve funcionários que, por terem ganhado destaque nas vendas, foram contratados no meio do ano, assim que abriram vagas fixas. 

— Também temos aqueles profissionais que estudam ao longo do ano e aproveitam o trabalho temporário para ter uma renda extra. Temos um rapaz que foi um excelente funcionário no ano passado e pretendemos recontratá-lo.

Qualificação em baixa

Mas se há vagas no mercado, a grande dificuldade encontrada pelos empresários é com relação à qualificação profissional dos candidatos. De acordo com Sandra, o consumidor está bastante exigente.

— Hoje a grande dificuldade do lojista é encontrar essas pessoas qualificadas para o trabalho. Quando se contrata para o período normal, tem tempo de treinar a pessoa desde o início, mas para a temporada, a pessoa precisa se preparar para a vaga antecipadamente, pelo menos com o básico de vendas — sugere.

Para a supervisora de vendas Eliana, os candidatos precisam ter, além de qualificação para a área, objetivo, foco e comprometimento com o trabalho. 

— O mercado de trabalho para contratação está muito difícil, temos que contratar 10 pessoas para escolher uma. As pessoas precisam entender que cada empresa tem suas regras e que elas precisam ser seguidas e isso é assim em qualquer área.

Pesquisas

A pesquisa da Fecomércio foi realizada entre os dias 15 e 17 de outubro, com 406 empresários do comércio das cidades de Florianópolis, Itajaí, Blumenau, Joinville, Criciúma, Lages e Chapecó. Destes, 35,5% afirmaram que irão ampliar o quadro de funcionários durante a temporada. 

Ainda segundo a pesquisa, 71,4% dos empresários devem contratar o mesmo número de trabalhadores temporários que no ano passado. Segundo a Fecomércio, a média de funcionários também apresenta indicador estável. Em 2017 foi de 2,95 por empresa e em 2018 a projeção é de 2,92.

A Federação das Câmaras de Dirigentes Legistas de Santa Catarina (FCDL/SC) também fez um levantamento em 20 cidades do Estado e aponta que 38,9% dos empresários de varejo preveem abrir vagas nesta temporada. O número é 10% a mais do que o ano passado, que foi de 28,9%. 

Segundo a FCDL, apesar do otimismo com as perspectivas para os últimos meses do ano e a partir de 2019, ainda há cautela. Isto está alinhado ao comportamento do consumidor, que aguarda recuperação econômica, ainda em ritmo lento. O resultado das vendas do Dia das Crianças, que apontou crescimento de 3,49%, também contribui para consolidar esta percepção.

Leia também

A hora delas: mulheres são exemplo na criação de novos negócios na Grande Florianópolis

São José é a cidade que mais fechou postos de trabalho em setembro em Santa Catarina

Plataforma online ajuda a decidir qual profissão escolher

 

Siga Hora no Twitter

  • horasc

    horasc

    Hora de SCPrédios da Fundação Catarinense de Cultura têm horários especiais no feriado https://t.co/5EOe7in2wfhá 41 minutosRetweet
  • horasc

    horasc

    Hora de SCDinâmica, meio-campo e laterais na Seleção Brasileira https://t.co/ZZdSPUYRlFhá 1 horaRetweet
Hora de Santa Catarina
Busca