Livro do MEC não preconiza erro gramatical, afirma Haddad a senadores - Jornal Hora de Santa Catarina - polícia, futebol, entretenimento e notícias da Grande Florianópolis

Versão mobile

31/05/2011 | 11h11

Livro do MEC não preconiza erro gramatical, afirma Haddad a senadores

Ministro foi convidado a falar aos senadores da Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE)

Ao falar aos senadores da Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE), o ministro da Educação, Fernando Haddad, afirmou que o livro Por uma vida melhor, utilizado em escolas públicas de Educação de Jovens e Adultos (EJA), não ensina a falar ou a escrever errado, conforme dizem críticos do material.

Você concorda que os materiais didáticos devam contemplar também as formas de expressão oral, mesmo com erros? Dê sua opinião

O ministro disse que os próprios críticos do livro reconhecem não terem lido a obra. Alguns, disse, após tomarem conhecimento do total da obra, retiraram as críticas. Por outro lado, o ministro ressaltou que o MEC recebeu inúmeras manifestações apoiando o livro.

Haddad disse que os exercícios contidos no livro pedem aos alunos que transformem frases escritas na linguagem popular para a norma culta. 

—  O livro parte de uma realidade comum ao aluno e traz o estudante para a norma culta —  disse.

Ao defender uma suposta supremacia da linguagem oral sobre a linguagem escrita, o livro admite a troca dos conceitos "certo e errado" por "adequado ou inadequado". A partir daí, frases com erros de português como "nós pega o peixe" poderiam ser consideradas adequadas em certos contextos.

Apesar das críticas de educadores e escritores, o MEC já havia informado que não pretendia retirar das escolas o livro distribuído pelo Programa Nacional do Livro Didático. De acordo com o Ministério, o livro foi concebido especialmente para a educação de jovens e adultos e aprovado por um conselho editorial.

Além disso, foi referendado por uma comissão formada por professores da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Ainda de acordo com o ministério, não existe interferência política na escolha dos livros didáticos.

VÍDEO: Professor diz que contexto justifica
erro gramatical em livro didático. Assista:

AGÊNCIA SENADO

Notícias Relacionadas

18/05/2011 | 19h44

VÍDEO: Professor diz que contexto justifica erro gramatical em livro didático

Em debate, especialistas defendem recurso para uma abordagem educacional sobre relações entre fala e escrita

18/05/2011 | 06h44

Livro didático polêmico foi aprovado por 100% das coordenadorias regionais de educação do RS

Secretária-adjunta de Educação do Estado garante que publicação é adequada ao ensino

17/05/2011 | 15h43

Ministro será convidado a explicar uso de livro didático que defende erros de português

Comissão presidida pelo senador Roberto Requião debater o caso com ministro Fernando Haddad

17/05/2011 | 10h15

País não pode criar apartheid linguístico, diz Cristovam Buarque sobre livro do MEC com erros

Senador criticou a distribuição de livros didáticos que trazem frases como "nós pega o peixe"

17/05/2011 | 04h01

Academia Brasileira de Letras desaprova livro que defende erros de português

Ministério não irá recolher publicação que gerou críticas de especialistas

 

Siga Hora no Twitter

  • horasc

    horasc

    Hora de SCAtleta infantil do #Figueirense e mãe morrem em acidente na BR-282, em Rancho Queimado: https://t.co/OgBdPlDZ2u… https://t.co/wXIsJPZEAghá 11 minutosRetweet
  • horasc

    horasc

    Hora de SCDá para o #Avaí pensar grande contra o Flamengo, diz @RodrigoFaraco: https://t.co/qM16PqHN8U #HoraSC https://t.co/d6rELWmnaVhá 30 minutosRetweet
Hora de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros