Audiência pode pôr fim à greve da Guarda Municipal - Polícia - Hora

Versão mobile

Negociação13/07/2016 | 18h39

Audiência pode pôr fim à greve da Guarda Municipal

Secretaria de Segurança pede que Polícia Federal prorrogue o convênio que autoriza o porte de armas até que a formação exigida seja concluída

Audiência pode pôr fim à greve da Guarda Municipal Cristiano Estrela/Agencia RBS
Foto: Cristiano Estrela / Agencia RBS

O juiz federal Hildo Nicolau Peron, da 2ª Vara, convocou audiência às 14 horas desta quinta-feira, envolvendo a Secretaria Municipal de Segurança e Gestão do Trânsito, a Polícia Federal e o comando daGuarda Municipal de Florianópolis, para tentar pôr fim ao impasse envolvendo o porte de armas dos agentes, que acabou provocando a paralisação do trabalhos desde segunda-feira.

O secretário de Segurança e Gestão de Trânsito de Florianópolis, José Paulo Rubim, acredita que, independentemente do resultado da audiência, a greve será encerrada.

— Eu vejo que não há como eles persistirem com a greve porque a decisão de manter o porte independe da prefeitura. Se continuarem, vamos entrar na Justiça. Nosso argumento é de que é uma greve ilegal e não se sustenta. Mas vamos aguardar o resultado sobre a possibilidade de eles usarem as armas até completarem o curso — afirmou.

Rubim também manteve o diálogo com a Polícia Federal, responsável por permitir ou não o porte, nos últimos dias.

— A Polícia Federal não tem nenhum problema em renovar o convênio, desde que complete o que eles estão pedindo.

O secretário ressalta que, em outras ocasiões, a PF já prorrogou a autorização.

— Já fizemos tratativas com a academia da Polícia Rodoviária Federal, que fica em Florianópolis, e diz que pode dar e concluir esse curso em quatro meses. A gente vai pedir essa prorrogação por esse período.

Os guardas municipais condicionam o retorno ao trabalho à permissão do porte de armamento.

 
Hora de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros