Ambulantes são detidos e mercadorias recolhidas no centro de Florianópolis - Polícia - Hora

Versão mobile

Fiscalização24/08/2016 | 18h35Atualizada em 24/08/2016 | 18h43

Ambulantes são detidos e mercadorias recolhidas no centro de Florianópolis

Duas toneladas de produtos foram apreendidas nas ruas e em duas casas nas proximidades da Avenida Mauro Ramos

Ambulantes são detidos e mercadorias recolhidas no centro de Florianópolis Rafaela Martins/Prefeitura de Florianópolis
Foto: Rafaela Martins / Prefeitura de Florianópolis

Duas operações realizadas simultaneamente na tarde desta quarta-feira na região central de Florianópolis resultaram na apreensão de cerca de duas toneladas de produtos clandestinos. Parte deste material já estava sendo comercializada no entorno do Mercado Público. A maioria da mercadoria, entretanto, estava escondida em duas casas nas proximidades da Avenida Mauro Ramos. 

CDL apela ao Ministério Público e denuncia comércio ilegal de ambulantes no centro de Florianópolis

As ações foram realizadas em parceria pela Secretaria Executiva de Serviços Públicos (Sesp), Guarda Municipal e Polícia Militar, com apoio da Receita Federal e da Polícia Civil.

Durante a operação na região do Mercado Público, foram detidos oito estrangeiros que estavam atuando no comércio irregular, a maioria deles por falta de documento e um por tentativa de agressão a um fiscal da Sesp. Entre o material apreendido nas duas ações estão celulares e outros componentes eletrônicos de procedência duvidosa, roupas de marcas famosas sem a devida comprovação de origem e outras mercadorias. 

Comércio informal aumenta no centro de Florianópolis

Todos os produtos serão avaliados pela Receita Federal. Caso se confirme a existência de crime, será dado prosseguimento às investigações. Já os estrangeiros detidos foram encaminhados à Polícia Federal, que se encarregará de checar a situação dos mesmos no Brasil. 

Esta é a primeira vez que este tipo de procedimento é tomado no combate ao comércio clandestino na Capital. Para o secretário da Sesp, Wilson Vergílio Rabelo, a participação da Polícia Militar e da Guarda Municipal nestas operações foi fundamental. Ele destacou também o fato de a Receita Federal e a Polícia Civil passarem a fazer parte do grupo de combate ao comércio clandestino.

 
Hora de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros