Golpistas se passam por pesquisadores para enganar pessoas e pedir dinheiro  - Polícia - Hora

Versão mobile

Atenção!19/09/2016 | 20h42Atualizada em 20/09/2016 | 08h29

Golpistas se passam por pesquisadores para enganar pessoas e pedir dinheiro 

Casos foram registrados em Floripa e São José. Polícia investiga

Golpistas se passam por pesquisadores para enganar pessoas e pedir dinheiro  Cristiano Estrela/Agencia RBS
Uma das vítimas pagou mais de R$ 1 mil por dois livros Foto: Cristiano Estrela / Agencia RBS

A Polícia Civil está investigando a ação de uma quadrilha em Florianópolis com membros que estão se passando por pesquisadores para enganar pessoas vendendo livros com valor acima de mercado. Além disso, eles pedem dinheiro para uma suposta casa de recuperação de dependentes químicos em Aracaju, no estado de Sergipe. 

Leia mais notícias da Grande Florianópolis

A avó da estudante Bruna Zanetti foi uma das vítimas do bando. Bruna conta que a senhora de 89 anos estava sozinha em casa no dia 13 de setembro, no Centro de Florianópolis, quando um casal uniformizado, com crachá com o nome de uma papelaria tocou a campainha e pediu se ela poderia responder a um questionário. 

— Eles começaram a fazer perguntas sobre saneamento básico, sobre segurança, e no fim pediram pra ela comprar uns livros de culinária para ajudar a pagar os estudos deles e ajudar uma casa de tratamento em Sergipe. Minha vó deu dois cheques que eles preencheram no valor de R$ 1.380, deram até um recibo para ela. Por sorte consegui sustar os cheques — conta.

Leia mais ocorrências de Polícia na Grande Florianópolis

Bruna relata que quando a avó contou a situação, ela percebeu que se tratava de um golpe, e ao pesquisar na internet viu vários casos semelhantes em outros estados com o mesmo grupo de Sergipe. Depois disso, o bando também esteve na rua em que a jovem vive com a família, na Serrinha, por isso resolveu compartilhar a história nas redes sociais:

— Conversei com vizinhos que também caíram no golpe, e a história foi praticamente a mesma. Eles vão envolvendo a pessoa, perguntando se ela acredita na recuperação de viciados, se merecem uma segunda chance, daí dizem que estão em tratamento e pedem um abraço, se a pessoa não gostaria de apadrinhar alguém em recuperação. No caso da vizinha ela fez prestações no cartão de crédito, eles tinham até uma máquina. Assim que coloquei no Facebook várias pessoas entraram em contato comigo falando que eles estavam no João Paulo e depois no Estreito — relata Bruna.

No bairro Praia Comprida, em São José, outra vítima que prefere não se identificar diz que a lábia do golpista é tão boa que ela comprou uma bíblia por R$ 560:

— O vendedor me contou uma história que tinha perdido a mãe com quatro anos, viveu na rua e ficou viciado, e agora estava recuperado, vendia os livros porque essa papelaria pagava metade dos estudos dele. No final ainda me pediu um abraço e disse que eu lembrava muito a mãe dele — contou a mulher que caiu no golpe no seu local de trabalho.

Segundo as vítimas, o grupo estava em uma van Citroen Jumper, de Aracaju, placa HZY 6506.

Polícia Civil está investigando o caso

A delegada Giovana Depizzolati, na 5ª Delegacia de Polícia, informou que houve o registro de um caso e a equipe de investigações está averiguando. As pessoas que forem vítima dos estelionatário devem registrar o boletim de ocorrência. 

 
Hora de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros