Homem confessa assalto contra casal de franceses, mas nega estupro de mulher - Polícia - Hora

Versão mobile

PRESO PELO CRIME EM PALHOÇA18/11/2016 | 16h34Atualizada em 18/11/2016 | 19h10

Homem confessa assalto contra casal de franceses, mas nega estupro de mulher

A delegada, entretanto, diz ter "convicção" de que foi ele quem cometeu o crime

A delegada Eliane Chaves, titular da Delegacia de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso de Palhoça, tomou nesta sexta-feira o depoimento do homem acusado de estuprar a mulher francesa de 31 anos, que foi assaltado junto com o marido em um parque ecológico do Centro de Palhoça, na madrugada de 12 de outubro. O suspeito confessou participação no roubo contra o casal, mas negou ser o autor do estupro. A delegada, contudo, diz ter firmado "convicção" de que foi ele quem estuprou a vítima.

— Foi um depoimento rápido. Ele confessou participação no assalto, porém negou o estupro. O depoimento dele fechou com o inquérito, as roupas que ele estava usando, a dinâmica do assalto, tudo. Mesmo com a negativa, creio que foi ele sim que estuprou a vítima — explica a delegada Eliane.

O suspeito, que ainda não possui advogado e cujo nome a reportagem não irá revelar enquanto ele não dispor de um defensor, afirmou em depoimento que ele e outros dois homens estavam dentro do parque ecológico usando drogas quando perceberam a chegada do casal de viajantes franceses, preparados para acampar em duas bicicletas. 

Sob efeito de crack, os três suspeitos, que costumavam passar as noites no parque semiabandonado no centro de Palhoça, teriam decidido roubar os franceses, violentar a fisioterapeuta e agredir com socos e chutes o economista de 38 anos.

— Agora, daremos sequência ao trabalho de buscas aos outros dois suspeitos, e aguardaremos a denúncia do Ministério Público. O suspeito interrogado ainda não tem advogado, e provavelmente a Defensoria Pública do Estado vai nomear alguém para defendê-lo — afirma Eliane.

A prisão do suspeito de estupro ocorreu por volta do meio dia de domingo, quando a PM desconfiou dele e de dois outros homens que estavam próximos a uma residência, aparentemente sem ninguém, na Praia de Fora, em São José. O suspeito de estupro foi encaminhado ainda no domingo para o Presídio da Agronômica, em Florianópolis. Outros dois acusados de cometerem os crimes contra os franceses seguem foragidos. Eles também estão com mandados de prisão em aberto pelo caso de Palhoça.

 Crime e solidariedade

Um casal de viajantes franceses, que percorria a América do Sul de bicicleta, foi assaltado à mão armada por três homens, que na sequência estupraram a mulher de 31 anos. O crime aconteceu na madrugada de 12 de outubro, quando o casal parou para acampar em um parque ecológico que fica nas proximidades do estádio Renato Silveira, do Guarani de Palhoça. 

O crime ocorreu em uma região isolada do centro de Palhoça, quando três homens abordaram o casal, amarraram o homem de 38 anos, estupraram a vítima, e levaram os pertences dos franceses, incluindo as bicicletas, notebook e roupas.

Dias depois da violência sofrida pelos franceses, mais de 150 ciclistas de Palhoça, São José e Florianópolis participaram do evento "Campanha de ajuda ao casal francês assaltado em Palhoça", no Eu Vou Floripa Park´n Shower, no centro da Capital, que angariou doações para que eles continuem viagem após terem os pertences roubados, incluindo as bicicletas.

A solidariedade dos catarinenses ajudou os franceses, que na quarta-feira recomeçaram a viagem até a Argentina com bicicletas e equipamentos novos. 

 
 
Hora de Santa Catarina
Busca
clicRBS
Nova busca - outros